Cardozo contra-ataca: vai processar tucanos

Ministro da Justiça pretende acionar criminalmente e por danos morais as pessoas que o ofenderam no caso da investigação do cartel do Metrô paulista; "Todos, sem exceção, os que me chamaram de vigarista, de membro de quadrilha, de sonso, e outras adjetivações 'tão elegantes', serão processados criminalmente", disse José Eduardo Cardozo; há três dias, o secretário José Aníbal foi quem ameaçou processar o petista por, segundo ele, agir politicamente no caso; "Esse ministro é um sonso", disse; Cardozo afirmou que irá ao Senado e à Camara falar sobre as denúncias envolvendo o PSDB na próxima terça-feira; é guerra!

Ministro da Justiça pretende acionar criminalmente e por danos morais as pessoas que o ofenderam no caso da investigação do cartel do Metrô paulista; "Todos, sem exceção, os que me chamaram de vigarista, de membro de quadrilha, de sonso, e outras adjetivações 'tão elegantes', serão processados criminalmente", disse José Eduardo Cardozo; há três dias, o secretário José Aníbal foi quem ameaçou processar o petista por, segundo ele, agir politicamente no caso; "Esse ministro é um sonso", disse; Cardozo afirmou que irá ao Senado e à Camara falar sobre as denúncias envolvendo o PSDB na próxima terça-feira; é guerra!
Ministro da Justiça pretende acionar criminalmente e por danos morais as pessoas que o ofenderam no caso da investigação do cartel do Metrô paulista; "Todos, sem exceção, os que me chamaram de vigarista, de membro de quadrilha, de sonso, e outras adjetivações 'tão elegantes', serão processados criminalmente", disse José Eduardo Cardozo; há três dias, o secretário José Aníbal foi quem ameaçou processar o petista por, segundo ele, agir politicamente no caso; "Esse ministro é um sonso", disse; Cardozo afirmou que irá ao Senado e à Camara falar sobre as denúncias envolvendo o PSDB na próxima terça-feira; é guerra! (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Heloisa Cristaldo
Repórter da Agência Brasil

Brasília - O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse nesta quinta-feira 28 que processará criminalmente e por danos morais as pessoas que o ofenderam no caso de investigação do Metrô de São Paulo. No entanto, o ministro não especificou os nomes de quem pretende acionar judicialmente. "Todos, sem exceção, os que me chamaram de vigarista, de membro de quadrilha, de sonso, e outras adjetivações 'tão elegantes', serão processados criminalmente".

"O ministro de Estado da Justiça não pode aceitar ser chamado de 'vigarista' e 'sonso', no sentido de dissimulado. [Não pode] aceitar ser chamado de membro de quadrilha e não reagir, ele não defende seu cargo, porque esse é um cargo de Estado. Acusar um ministro de vigarista é inaceitável e atinge o próprio cargo", ressaltou, em entrevista coletiva.

Leia mais em Aníbal ameaça processar Cardozo: "é um sonso"

Cardozo disse que irá na próxima terça-feira (3) ao Senado Federal e na quarta-feira (4) na Câmara para falar sobre as denúncias de irregularidades em licitações para obras do metrô de São Paulo envolvendo políticos do PSDB.

Ontem (27), o PSDB ingressou com representação contra o ministro na Comissão de Ética Pública. O partido acusa Cardozo de ter usado informações falsas para incriminar adversários do governo e do PT. Durante a entrevista coletiva, o ministro subiu o tom ao reiterar que a polêmica desvia o foco do assunto principal.

"Querem uma cortina de fumaça em relação aos fatos. Parece que se tem perdido um pouco a dimensão de que essa investigação que ocorre relativo às obras do metro não é apenas brasileira, é mundial e está diretamente relacionada ao que ocorre em vários países do mundo. Temos vários países que já investigaram e já puniram o cartel", disse. "Acho inaceitável, seja que pretexto for, seja para tentar desviar a atenção de uma investigação séria, seja para intimidar, que pessoas atinjam a honra com tão baixo nível".

Cardozo informou que mais de 30 terabites de informações já foram encaminhados pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) ao Ministério Público Federal. O documento contém informações detalhadas sobre as investigações com fotografias, contrato, planilha, tabelas, matérias de jornais que falam de outras operações feitas pela Polícia Federal. "Há muitos fatos narrados, se são procedentes ou não, é isso que vamos investigar", disse o ministro.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email