Cármen condena João Paulo por todas as acusações

4X2 contra ex-presidente da Câmara; "Houve dissimulação. Sabia-se que havia dádiva indevida", afirmou ministra Cármen Lúcia sobre acusação de corrupção passiva; em seguida, o condenou por lavagem de dinheiro e peculato, duas vezes; igualmente condenou Marcos Valério

Cármen condena João Paulo por todas as acusações
Cármen condena João Paulo por todas as acusações (Foto: Edição/247 )

247 - A ministra Cármem Lúcia disse que saque de R$ 50 mil em agência do Banco Rural por mulher de ex-presidente da Câmara, João Paulo Cunha, configurou corrupção passiva. "Houve dissimulação", disse ela, lembrando que na véspera do saque houve reunião, na residência oficial da Presidência da Câmara, reunião entre João Paulo e publicitário Marcos Valério. Em seguida, também o condenou por lavagem de dinheiro. 

Na sequência de seu voto, a ministra condenou João Paulo Cunha também por peculato, considerando irregulares os contratos com o jornalista Luís Costa Pinto e a SMP&B. Também condenou Marcos Valério e seus sócios, além de Henrique Pizzolato, pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro. "Acusação de peculato por bônus de volume é procedente também", acrescentou, dizendo que serviços para os quais foram pagos bônus de volume não foram efetivamente prestados.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247