Carvalho diz que já havia colocado sigilos à disposição da Justiça

Ex-ministro dos governos Lula e Dilma, que teve seus sigilos telefônico e bancário quebrados por decisão da Justiça, no âmbito da Operação Zelotes, afirma em nota que "conforme declaração minha dada à imprensa no final de outubro, tomei a iniciativa de colocar à disposição da Justiça meus sigilos telefônico, fiscal e bancário, o que ficou devidamente consignado"; Gilberto Carvalho diz ainda "desafiar que provem o contrário" o que ele disse à Polícia Federal em depoimento, negando participação nas acusações de supostas "compras" de medidas provisórias para beneficiar o setor automotivo

Ex-ministro dos governos Lula e Dilma, que teve seus sigilos telefônico e bancário quebrados por decisão da Justiça, no âmbito da Operação Zelotes, afirma em nota que "conforme declaração minha dada à imprensa no final de outubro, tomei a iniciativa de colocar à disposição da Justiça meus sigilos telefônico, fiscal e bancário, o que ficou devidamente consignado"; Gilberto Carvalho diz ainda "desafiar que provem o contrário" o que ele disse à Polícia Federal em depoimento, negando participação nas acusações de supostas "compras" de medidas provisórias para beneficiar o setor automotivo
Ex-ministro dos governos Lula e Dilma, que teve seus sigilos telefônico e bancário quebrados por decisão da Justiça, no âmbito da Operação Zelotes, afirma em nota que "conforme declaração minha dada à imprensa no final de outubro, tomei a iniciativa de colocar à disposição da Justiça meus sigilos telefônico, fiscal e bancário, o que ficou devidamente consignado"; Gilberto Carvalho diz ainda "desafiar que provem o contrário" o que ele disse à Polícia Federal em depoimento, negando participação nas acusações de supostas "compras" de medidas provisórias para beneficiar o setor automotivo (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O ex-ministro Gilberto Carvalho rebateu em nota a notícia de que a Justiça decidiu quebrar seus sigilos bancário e fiscal no âmbito da Operação Zelotes. Segundo Carvalho, ele próprio colocou à disposição da Justiça, conforme declaração feita em outubro à imprensa, seus sigilos telefônico, fiscal e bancário.

Citado pela Polícia Federal como alguém que mantém "conluio" com lobistas que atuam em Brasília para o setor automotivo, Carvalho disse ainda não ter medo de ser investigado e reafirmou o que já disse à PF em depoimento. "Desafio que provem o contrário", declarou na nota.

Leia abaixo a íntegra:

Conforme declaração minha dada à imprensa no final de outubro, tomei a iniciativa de colocar à disposição da Justiça meus sigilos telefônico, fiscal e bancário, o que ficou devidamente consignado. Ao longo dos 12 anos que passei no Palácio do Planalto, me orgulho de não ter acumulado bens. Reafirmo que não tenho medo de ser investigado e considero dever da Polícia Federal, da Receita Federal e de qualquer órgão de controle realizar a investigação que julgar necessária. Faz parte do ônus e dos deveres inerentes da vida pública. Reitero o que foi afirmado em meu depoimento à Polícia Federal e desafio que provem o contrário.

Gilberto Carvalho

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247