Cassado por compra de voto, Cunha Lima vê Dilma como 'mancha a ser limpa'

Político cassado por ter distribuído 35 mil cheques a cidadãos carentes durante a campanha eleitoral em 2006 na Paraíba, o senador Cássio Cunha Lima, líder do PSDB no Senado, voltou, nesta quinta (2), a elevar o tom contra a presidente Dilma Rousseff; segundo ele, o mandato dela está com os dias contados. "Não há como ela escapar", disse; ele declarou que o governo do PT será limpo com benzina porque é uma "mancha"; "Acabou o jogo. O que Dilma poderia fazer? Renunciar ao mandato para termos novas eleições", afirmou

Político cassado por ter distribuído 35 mil cheques a cidadãos carentes durante a campanha eleitoral em 2006 na Paraíba, o senador Cássio Cunha Lima, líder do PSDB no Senado, voltou, nesta quinta (2), a elevar o tom contra a presidente Dilma Rousseff; segundo ele, o mandato dela está com os dias contados. "Não há como ela escapar", disse; ele declarou que o governo do PT será limpo com benzina porque é uma "mancha"; "Acabou o jogo. O que Dilma poderia fazer? Renunciar ao mandato para termos novas eleições", afirmou
Político cassado por ter distribuído 35 mil cheques a cidadãos carentes durante a campanha eleitoral em 2006 na Paraíba, o senador Cássio Cunha Lima, líder do PSDB no Senado, voltou, nesta quinta (2), a elevar o tom contra a presidente Dilma Rousseff; segundo ele, o mandato dela está com os dias contados. "Não há como ela escapar", disse; ele declarou que o governo do PT será limpo com benzina porque é uma "mancha"; "Acabou o jogo. O que Dilma poderia fazer? Renunciar ao mandato para termos novas eleições", afirmou (Foto: Valter Lima)

247 - Político cassado por abuso abuso de poder político por, segundo a justiça, ter realizado um programa de assistência social sem lei específica, o senador Cássio Cunha Lima, líder do PSDB no Senado, voltou, nesta quinta-feira (2), a elevar o tom contra a presidente Dilma Rousseff. Segundo ele, o mandato dela está com os dias contados. "Não há como ela escapar", disse.

Para o tucano, o PT faz ataques de "desespero" ao PSDB e que não há como piorar ainda ainda mais o Brasil do que os petistas fizeram. Num duro pronunciamento, ele declarou que o governo do PT será limpo com benzina porque é uma "mancha".

Ao defender novamente a saída espontânea de Dilma do cargo, Cássio afirmou que o dono da UTC, Ricardo Pessoa, vai confirmar no próximo dia 14 ao Tribunal Superior Eleitoral que deu dinheiro ilegal para a campanha à reeleição da presidente. Ele citou ainda a investigação das "pedaladas" fiscais no Tribunal de Contas da União e os pedidos de apuração feitos pela oposição no Ministério Público Federal contra Dilma para mostrar que o suposto certo está se fechando.

"Acabou o jogo. O que Dilma poderia fazer? Renunciar ao mandato para termos novas eleições", afirmou ele, ao ressaltar que fala em nome do PSDB. Ele disse que o presidente do seu partido, senador Aécio Neves (MG), não vai assumir o mandato e frisou que os tucanos querem novas eleições presidenciais. Ele mencionou ainda que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva poderá disputar o pleito.

Cassação do tucano

Governador reeleito da Paraíba em 2006, Cássio Cunha Lima teve o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) sob a acusação de ter distribuído 35 mil cheques a cidadãos carentes durante a campanha eleitoral daquele ano, por meio de programa assistencial da Fundação Ação Comunitária (FAC), vinculada ao governo estadual. Segundo a denúncia, os cheques totalizam cerca de R$ 4 milhões.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247