Centrais sindicais entregam ao Congresso pedido de impeachment de Bolsonaro

O pedido será protocolado nesta terça-feira (14), na Câmara dos Deputado. Além da CUT, centrais sindicais e mais de 40 organizações assinam o documento que exige a saída de Bolsonaro

www.brasil247.com -


247 - A CUT e demais centrais sindicais, além de representantes dos movimentos sociais vão protocolar, na Câmara dos Deputados, nesta terça-feira (14), o pedido de impeachment de Jair Bolsonaro. As entidades pretendem entregar o pedido, pessoalmente, ao presidente da Casa, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O pedido é assinando por mais de 40 entidades, que listam os diversos crimes de responsabilidade cometidos desde o início da gestão Bolsonaro que, segundo as organizações, têm ocasionado graves violações aos direitos humanos e ameaçam as vidas de milhões de brasileiros.

"O comportamento e as ações de Bolsonaro, que desprezou a gravidade da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), ignorou  recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para conter a disseminação da doença, como usar máscaras e cumprir o isolamento social, é responsável pelo agravamento das crises econômica e sanitária que o Brasil enfrenta hoje", afirma Sérgio Nobre, presidente da CUT.

“Logo nós vamos bater a marca dos cem mil mortos por Covid-19, mortes que poderiam ter sido evitadas, não fosse a irresponsabilidade dele e de seus ministros”, reforça Sérgio Nobre, que critica especialmente o ministro da Economia, Paulo Guedes, cuja agenda é focada na retirada de direitos da classe trabalhadora.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email