"Chega de aprovar contas com ressalvas", diz ministro do TCU

Relator do processo das contas do governo da presidente Dilma Rousseff em 2014 no Tribunal de Contas da União (TCU), ministro Augusto Nardes, disse que não aprovou as contas do governo com ressalvas, como acontece tradicionalmente pelo TCU, porque os gestores não mudam a postura em relação aos pontos que devem ser observados; "Chega de aprovar contas com ressalvas porque o governo passou dos limites, como no caso da Petrobras", disse; segundo o TCU, dos R$ 151 bilhões em investimentos federais feitos pela União em 2014, R$ 81 bilhões foram originários da Peestatal; "A situação da Petrobras vai afetar metade dos investimentos do governo federal naquele ano", observou

Relator do processo das contas do governo da presidente Dilma Rousseff em 2014 no Tribunal de Contas da União (TCU), ministro Augusto Nardes, disse que não aprovou as contas do governo com ressalvas, como acontece tradicionalmente pelo TCU, porque os gestores não mudam a postura em relação aos pontos que devem ser observados; "Chega de aprovar contas com ressalvas porque o governo passou dos limites, como no caso da Petrobras", disse; segundo o TCU, dos R$ 151 bilhões em investimentos federais feitos pela União em 2014, R$ 81 bilhões foram originários da Peestatal; "A situação da Petrobras vai afetar metade dos investimentos do governo federal naquele ano", observou
Relator do processo das contas do governo da presidente Dilma Rousseff em 2014 no Tribunal de Contas da União (TCU), ministro Augusto Nardes, disse que não aprovou as contas do governo com ressalvas, como acontece tradicionalmente pelo TCU, porque os gestores não mudam a postura em relação aos pontos que devem ser observados; "Chega de aprovar contas com ressalvas porque o governo passou dos limites, como no caso da Petrobras", disse; segundo o TCU, dos R$ 151 bilhões em investimentos federais feitos pela União em 2014, R$ 81 bilhões foram originários da Peestatal; "A situação da Petrobras vai afetar metade dos investimentos do governo federal naquele ano", observou (Foto: Paulo Emílio)

247 - O relator do processo das contas do governo da presidente Dilma Rousseff em 2014 no Tribunal de Contas da União (TCU), Augusto Nardes, disse que não aprovou as contas do governo com ressalvas, como acontece tradicionalmente pelo TCU, porque os gestores não mudam a postura em relação aos pontos que devem ser observados.

"Chega de aprovar contas com ressalvas porque o governo passou dos limites, como no caso da Petrobras", disse durante um evento em São Paulo nesta quinta-feira (25). "Falta de aviso não foi, mas, infelizmente, governantes não aceitaram as sugestões", completou.

De acordo com Nardes, dos R$ 151 bilhões em investimentos federais feitos pela União em 2014, R$ 81 bilhões foram originários da Petrobras. "A situação da Petrobras vai afetar metade dos investimentos do governo federal naquele ano", disse.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247