Cidadania vai ao STF para barrar indicação de Eduardo Bolsonaro como embaixador nos EUA

"Feita a análise do caso em sua especificidade, vem à tona a única e real motivação que levaria a autoridade coatora a indicar o Sr. Eduardo Nantes Bolsonaro para função de tamanha importância e complexidade: a relação de consanguinidade", diz a legenda em ação apresentando ao Supremo

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Cidadania (antigo PPS) impetrou ação junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo que a corte barre a indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, à embaixada do Brasil nos Estados Unidos. 

Na ação, o partido argumenta que a indicação seria flagrante nepotismo, já que o parlamentar não seria qualificado ao cargo.

"Feita a análise do caso em sua especificidade, vem à tona a única e real motivação que levaria a autoridade coatora a indicar o Sr. Eduardo Nantes Bolsonaro para função de tamanha importância e complexidade: a relação de consanguinidade", diz a legenda.

O partido se refere a declaração de Jair Bolsonaro que diz que pretende sempre dar o "filé mignon ao filho". Para o Cidadania, Bolsonaro confunde a res publica com a res privata, ignorando que o poder emana do povo e que a ele deve servir.

"Trata-se de retrocesso civilizatório e institucional para o país, que retorna a práticas antigas e arduamente combatidas durante anos", diz. O relator da ação é o ministro Ricardo Lewandowski.

Com informações do O Estado de S. Paulo

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247