''Cientistas não podem ficar calados", afirma ex-diretor do Inpe exonerado por Bolsonaro

O físico Ricardo Galvão, demitido do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) pelo governo, após irritar Jair Bolsonaro por alertar para o aumento do desmatamento na atual gestão, afirmou que os cientistas não podem mais "ficar calados, temos que responder com firmeza, e mostrando que nós fazemos o bem para a sociedade"

O diretor do Inpe, Ricardo Galvão.
O diretor do Inpe, Ricardo Galvão. (Foto: Divulgação / Inpe)

247 - O físico Ricardo Galvão, demitido do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) pelo governo, após irritar Jair Bolsonaro por alertar para o aumento do desmatamento na atual gestão, afirmou que os cientistas não podem mais "ficar calados, temos que responder com firmeza, e mostrando que nós fazemos o bem para a sociedade". O Inpe alertou, por exemplo, que a destruição em junho cresceu 88% e em julho 278% em comparação com iguais períodos de 2018.

"Eu espero que a ciência brasileira não se preocupe com o cerceamento que possa haver porque nós vamos lutar”, disse ele à Carta Maior.

De acordo com o ex-dirigente, está muito claro que há "um movimento obscurantista anti-ciência ganhando força em todo o mundo". "Ao mexer com o INPE, Bolsonaro realmente não sabia com quem estava mexendo", complementou.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247