Ciro volta a atacar Lula e o PT e diz que 'unidade é o cacete', sobre a frente de esquerda

Ciro Gomes voltou a se ocupar nesta segunda-feira (16) com a única atividade a que se dedica: atacar Lula e o PT e minar a unidade entre as forças de esquerda. O candidato do PDT, derrotado em 2018, que fugiu para o exterior para não se envolver no embate do segundo turno entre Haddad e Bolsonaro, afirmou que o campo progressista perderá as próximas três ou quatro eleições caso o que ele chama de “burocracia do PT” mantenha uma estratégia em “nome da direção imperial” do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo, ele descarta a frente de esquerda afirmando que "unidade é o cacete"

Ciro Gomes
Ciro Gomes (Foto: Reuters)

247 - Ciro Gomes voltou a se ocupar nesta segunda-feira (16), desta vez em Belo Horizonte, com a única atividade a que se dedica: atacar Lula e o PT e minar a unidade entre as forças de esquerda.  O candidato do PDT, derrotado em 2018, que fugiu para o exterior para não se envolver no embate do segundo turno entre Haddad e Bolsonaro,  afirmou que o campo progressista perderá as próximas três ou quatro eleições caso o que ele chama de “burocracia do PT” mantenha uma estratégia em “nome da direção imperial” do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, informa O Estado de S.Paulo.

O Estadão destaca que  Ciro quer mesmo romper com a frente de esquerda. “Agora ninguém mais vai enganar ninguém porque o que eu tinha para dar de engolir, de ter que fazer silêncio em nome da unidade, eles acabaram de liquidar”, disse Ciro. 

Ele esteve em Belo Horizonte para participar da filiação ao PDT da professora Duda Salabert, a primeira transexual a se candidatar ao Senado, nas eleições do ano passado – ela estava sem partido desde que se desfiliou do PSOL. 

Em entrevista ao Estadão, o político cearense acionou mais uma vez a sua metralhadora giratória e empregou o seu característico vocabulário: "Unidade é o cacete", vociferou. Com traços de machismo e extremamente raivoso, ataca a presidenta do PT, Gleisi Hoffman, chamando-a de "pau mandado" de Lula e representante do "PT corrupto e incompetente".

"O PT são vários PTs. E é importante que você entenda essa premissa para o raciocínio que vou elaborar. Esta burocracia do PT e a estratégia que essa burocracia está fazendo em nome da direção imperial do Lula é certeza da derrota do campo progressista no Brasil agora e pelas próximas três ou quatro eleições. Por quê? Porque você explodiu sobre a cabeça do povo brasileiro, tal como nosso povo é, dois gravíssimos problemas. Um, a corrupção generalizada. Você pode relativizar, como petista fanático dessa burocracia faz. A segunda questão é econômica (a crise)".

"São rigorosamente as duas faces da mesma moeda. E aí você vê na caricatura. O Datafolha publica uma pesquisa em que há uma violenta deterioração da popularidade do Bolsonaro, e o Bolsonaro faz um discurso dizendo, ‘tá bom, errei em alguma coisa’, mas se vocês falarem mal de mim, o PT vai voltar. No mesmo dia, Gleisi Hoffman,  que interpreta esse PT corrupto e incompetente, que é uma pau mandado do Lula, sem nenhum tipo de atitude crítica, simplesmente o partido mais importante do País é dirigido por essa mulher. Ela diz o quê? Que vai ser nós contra o Bolsonaro. Enquanto isso alguém ilude o Flávo Dino, alguém fala em unidade comigo, e tal. Comigo unidade é o cacete. Unidade é na luta. E na luta em cima da mesa. Agora ninguém mais vai enganar ninguém porque o que eu tinha para dar de engolir, de ter que fazer silêncio em nome da unidade, eles acabaram de liquidar".

De acordo com Ciro, o PT é um fenômeno político "doentio", responsável pela eleição de Jair Bolsonaro. "O Bolsonaro nunca foi o candidato da direita brasileira. O Bolsonaro foi engolido pela direita brasileira porque era o cara que foi identificado pelo nosso sofrido povo como o mais tosco intérprete do antipetismo que era a força dominante. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247