Com 2,6% das intenções de voto, Marina critica proposta de Constituinte de Haddad

Na impossibilidade de demarcar algum tipo de discurso proposicional, a candidata à presidência Marina Silva, presidenciável que mais caiu nas pesquisas de opinião nas ultimas semanas, adotou a tática de fazer coro com a linha editorial dos grandes jornais e taxar Fernando Haddad e Jair Bolsonaro como duas faces da mesma moeda; ela taxou ambos como "dois extremos".

Com 2,6% das intenções de voto, Marina critica proposta de Constituinte de Haddad
Com 2,6% das intenções de voto, Marina critica proposta de Constituinte de Haddad (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Na impossibilidade de demarcar algum tipo de discurso proposicional, a candidata à presidência Marina Silva, presidenciável que mais caiu nas pesquisas de opinião nas ultimas semanas, adotou a tática de fazer coro com a linha editorial dos grandes jornais e taxar Fernando Haddad e Jair Bolsonaro como duas faces da mesma moeda. Ela taxou ambos como "dois extremos". 

A reportagem do jornal O Estado de S. Paulo destaca que "a uma semana do primeiro turno, a candidata da Rede, Marina Silva, disse neste domingo, 30, que o País não pode 'cair nos extremos', em uma referência ao cenário polarizado com os dois primeiros colocados nas pesquisas de intenção de voto: Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). A ex-ministra alfinetou ainda a proposta de constituinte do ex-prefeito, alegando que pode também ser um 'retrocesso' à democracia".

As palavras da ex-ministra foram: "o Brasil não pode cair nos extremos. Esse é um momento difícil que precisa ser encarado pelos jovens libertários, pelas pessoas intelectuais, empresários democráticos".

A matéria acrescenta: "o discurso da ex-senadora, que desidratou nas pesquisas e agora marca 5%, está no tom que ela deve levar nesta reta final, de crítica ao Bolsonaro e ao Haddad, como dois posicionamentos autoritários de direita e de esquerda, nas palavras da candidata. O objetivo é angariar votos mais de centro".

 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247