Comissão de Ética diz que promoção de filho de Mourão no BB 'preenche requisitos'

Comissão de Ética da Presidência decidiu por unanimidade nesta quarta-feira (23) não abrir procedimento para analisar a nomeação do filho do vice-presidente da República para cargo executivo no Banco do Brasil

Comissão de Ética diz que promoção de filho de Mourão no BB 'preenche requisitos'
Comissão de Ética diz que promoção de filho de Mourão no BB 'preenche requisitos' (Foto: Reuters | Reprodução)

247 - A Comissão de Ética da Presidência da República decidiu que não houve quebra de conduta ética na promoção do filho do vice-presidente general Hamilton Mourão ao cargo de assessor especial no Banco do Brasil, após seu pai ser empossado.

Para o órgão, Antônio Hamilton Rossell Mourão "preenche os requisitos" para assumir a função e arquivou o pedido de investigação. O filho de Mourão foi promovido para cargo executivo no Banco do Brasil, triplicando o seu salário, passando a ganhar R$ 36,3 mil.

A promoção foi considerada inusual por funcionários e criticada por membros do próprio governo. Segundo fontes, até mesmo o presidente Jair Bolsonaro ficou incomodado com a promoção e não teria sido consultado. 

Funcionário de carreira do banco, o filho de Mourão vinha atuando como assessor na área de agronegócio do banco, ganhando cerca de R$ 12 mil mensais.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247