'Como ex-chanceler, me sinto envergonhado', diz Amorim sobre prisão de Lula

O ex-ministro das Relações Exteriores do governo Lula, Celso Amorim, afirmou nesta sexta-feira, 6, que, enquanto ex-chanceler, se sente envergonhado com a ordem de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, por considerá-la arbitrária; "Como brasileiro estou me sentindo injustiçado e, como ex-chanceler, muito envergonhado", desabafou Amorim nesta manhã de sexta-feira, 6, à Rádio CBN

O ex-ministro das Relações Exteriores do governo Lula, Celso Amorim, afirmou nesta sexta-feira, 6, que, enquanto ex-chanceler, se sente envergonhado com a ordem de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, por considerá-la arbitrária; "Como brasileiro estou me sentindo injustiçado e, como ex-chanceler, muito envergonhado", desabafou Amorim nesta manhã de sexta-feira, 6, à Rádio CBN
O ex-ministro das Relações Exteriores do governo Lula, Celso Amorim, afirmou nesta sexta-feira, 6, que, enquanto ex-chanceler, se sente envergonhado com a ordem de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, por considerá-la arbitrária; "Como brasileiro estou me sentindo injustiçado e, como ex-chanceler, muito envergonhado", desabafou Amorim nesta manhã de sexta-feira, 6, à Rádio CBN (Foto: Aquiles Lins)

247 - O ex-ministro das Relações Exteriores do governo Lula, Celso Amorim, afirmou nesta sexta-feira, 6, que, enquanto ex-chanceler, se sente envergonhado com a ordem de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, por considerá-la arbitrária.

"Como brasileiro estou me sentindo injustiçado e, como ex-chanceler, muito envergonhado", desabafou Amorim nesta manhã de sexta-feira, 6, à Rádio CBN.

"Parece quando você está fora da gravidade, em que as leis normais não prevalecem, então é uma pergunta quase impossível de responder", afirmou, quando questionado como ficaria a situação de Lula neste momento, depois que o juiz Sergio Moro mandou prendê-lo, sem provas e antes da conclusão dos recursos na segunda instância. "Mas queremos o Lula livre, é isso que podemos dizer", reforçou.

O ex-chanceler apontou um "clima de total insegurança política" no Brasil e disse que a prisão do ex-presidente é de uma "gravidade enorme". "A imagem do Brasil está sendo manchada, devido a essa pressa que jamais se viu em nenhuma outra ação similar", destacou, lembrando que quem disse isso foi o ministro Gilmar Mendes, do STF, "que sequer tem simpatia com o PT ou com Lula (leia mais).

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247