Estados contestam Bolsonaro e não exigirão receita para vacinar crianças

O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) rejeitou a obrigatoriedade de receita médica para a vacinação de crianças contra a Covid-19

www.brasil247.com - Jair Bolsonaro e vacina
Jair Bolsonaro e vacina (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino | REUTERS/Yves Herman)


Metrópoles - O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) divulgou, nesta sexta-feira (24/12), uma carta de Natal em que rejeita a obrigatoriedade de receita médica para a vacinação de crianças contra a Covid-19.

Na carta, assinada pelo presidente do Conass, Carlos Lula, o grupo afirma que crianças “não precisam ter medo de agulhas”, pois a imunização contra o coronavírus é segura e eficaz.

“Eu sei que ninguém gosta de agulhas, mas vocês não precisam ter medo! Os cientistas do mundo inteiro apontam a segurança e eficácia da vacina para crianças! Ela inclusive já começou a ser aplicada em meninos e meninas de vários países do mundo”, pontuou o conselho.

Por fim, o conselho rejeitou a obrigação de receita médica para a vacinação contra a Covid.

Leia a íntegra no Metrópoles

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247