Contra Tasso, tucanos ameaçam abandonar o PSDB

A guerra civil entre os tucanos que apoiam o governo Temer e a ala que quer o desembarque ganhou novos contornos; parlamentares governistas vão partir para o tudo ou nada e ameaçam deixar o PSDB caso o senador Tasso Jereissati não saia da presidência interina da sigla; entre os que ameaçam deixar a sigla estão quadros históricos e fundadores da legenda; Aécio Neves, que está licenciado da direção do partido desde o estouro do escândalo da JBS, não quer retomar o posto agora

Tasso Jereissati
Tasso Jereissati (Foto: Giuliana Miranda)

247 - A ala do PSDB que defende o apoio ao governo Michel Temer vai partir para o tudo ou nada.

O grupo pede a saída de Tasso Jereissati (CE) da presidência interina da sigla até o fim desta semana. Diz que, se Aécio Neves (MG) não encontrar um substituto, o PSDB vai perder deputados. Entre os que ameaçam deixar a sigla estão quadros históricos e fundadores da legenda. O mineiro está licenciado da direção do partido desde o estouro do escândalo da JBS — e não quer retomar o posto agora.

 impasse no tucanato parece intransponível. A gota d’água foi a publicação de um cronograma das convenções do partido. Tasso tinha dito que só oficializaria o calendário após discussão com os vices-presidentes, mas fez o anúncio na sexta (18).

A ala anti-Tasso fará reunião na noite desta segunda (21), em Brasília, para comunicar Aécio sobre sua posição. Dois governadores foram chamados: Marconi Perillo (GO) e Reinaldo Azambuja (MS). Ao menos dez parlamentares estariam dispostos a sair se o cearense continuar no cargo.

Com a sigla dividida, o grupo que apoia Tasso Jereissati também promete reagir a uma eventual deposição. Qualquer desfecho deixará uma fratura exposta.

As informações são da coluna Painel da Folha de S.Paulo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247