‘Cortar Bolsa Família é atentar contra 50 milhões’

Em meio à proposta do relator do Orçamento da União de 2016, deputado Ricardo Barros (PP-PR), de cortar R$ 10 bilhões do programa, presidente Dilma reforçou nesta quinta-feira que "cortar o Bolsa Família significa atentar contra 50 milhões de brasileiros que hoje têm uma vida melhor por causa do programa"; "Além de ser reconhecido por sua eficiência, o Bolsa Família tornou-se peça central de nossa estratégia de enfrentamento da pobreza e da desigualdade social. A ONU e o Banco Mundial reconhecem no Bolsa Família uma invenção brasileira de alta repercussão", discursou, durante evento no Planalto; ontem, ela já havia dito que o programa, que acaba de completar 12 anos, é "prioridade máxima"

Em meio à proposta do relator do Orçamento da União de 2016, deputado Ricardo Barros (PP-PR), de cortar R$ 10 bilhões do programa, presidente Dilma reforçou nesta quinta-feira que "cortar o Bolsa Família significa atentar contra 50 milhões de brasileiros que hoje têm uma vida melhor por causa do programa"; "Além de ser reconhecido por sua eficiência, o Bolsa Família tornou-se peça central de nossa estratégia de enfrentamento da pobreza e da desigualdade social. A ONU e o Banco Mundial reconhecem no Bolsa Família uma invenção brasileira de alta repercussão", discursou, durante evento no Planalto; ontem, ela já havia dito que o programa, que acaba de completar 12 anos, é "prioridade máxima"
Em meio à proposta do relator do Orçamento da União de 2016, deputado Ricardo Barros (PP-PR), de cortar R$ 10 bilhões do programa, presidente Dilma reforçou nesta quinta-feira que "cortar o Bolsa Família significa atentar contra 50 milhões de brasileiros que hoje têm uma vida melhor por causa do programa"; "Além de ser reconhecido por sua eficiência, o Bolsa Família tornou-se peça central de nossa estratégia de enfrentamento da pobreza e da desigualdade social. A ONU e o Banco Mundial reconhecem no Bolsa Família uma invenção brasileira de alta repercussão", discursou, durante evento no Planalto; ontem, ela já havia dito que o programa, que acaba de completar 12 anos, é "prioridade máxima" (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A presidente Dilma Rousseff voltou a criticar nesta quinta-feira 22 a proposta do relator do Orçamento Geral da União 2016, deputado Ricardo Barros (PP-PR), que prevê o corte de R$ 10 bilhões destinados ao programa Bolsa Família, do governo federal.

Durante evento no Palácio do Planalto em que sancionou lei que regulariza mais de seis mil lotéricas no País, a presidente Dilma afirmou que possui um "compromisso inarredável" com o  maior programa social do seu governo.

"Não podemos permitir que isso (o corte) aconteça. Estou certa que o bom senso prevalecerá na destinação de recursos ao programa", apostou. Dilma afirmou ainda que o Bolsa Família é uma "peça central" para combater a miséria e a desigualdade.

"Além de ser reconhecido por sua eficiência, o Bolsa Família tornou-se peça central de nossa estratégia de enfrentamento da pobreza e da desigualdade social. A ONU (Organização das Nações Unidas) e o Banco Mundial reconhecem no Bolsa Família uma invenção brasileira de alta repercussão", destacou a presidente.

Caso a proposta do relator seja aprovada, o programa sofrerá um corte correspondente a 35% de seu valor total, orçado em R$ 28,8 bilhões. Nesta quarta-feira, a presidente já havia dito que que o programa, que acaba de completar 12 anos, é "prioridade máxima" de sua administração.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247