Corte de verbas ameaça 175 mil alunos e ministro diz estar preocupado com “risco de imagem” para o governo

Redução de R$ 1,57 bilhão sobre o orçamento do Ministério da Educação poderá interromper o funcionamento de 29 institutos federais e deixar cerca de 175 mil alunos sem aulas. Ministro da Educação, Milton Ribeiro, alerta para "risco de imagem"” do governo caso o corte seja feito

Milton Ribeiro
Milton Ribeiro (Foto: Isac Nóbrega/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O corte de R$ 1,57 bilhão que o Ministério da Economia pretende implementar sobre o orçamento do Ministério da Educação ainda este ano poderá interromper o funcionamento de 29 institutos federais e deixar cerca de 175 mil alunos sem aulas.

O alerta, segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, foi feito pelo ministro da Educação, Milton Ribeiro, que teme que os cortes também afetem programas considerados prioritários pela pasta, como a alfabetização infantil e a implementação de escolas cívico-militares, e afetem a “imagem” do governo. 

Ainda conforme a reportagem, nos ofícios em que trata do assunto, Ribeiro atribui o bloqueio à Secretaria de Governo, chefiada por Luiz Eduardo Ramos. O Ministério da Economia, porém, já havia remanejado os recursos para viabilizar o programa Pró-Brasil, que prevê R$ 6,5 bilhões de investimentos em obras públicas. 

Segundo o  Ministério da Economia, o assunto ainda será analisado pela Junta de Execução Orçamentária (JEO) composta pelos ministros da Economia, Paulo Guedes, e da Casa Civil, Walter Braga Netto. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email