Cresce em mais de 9% o crime covarde do estupro

Mesmo considerado o crime mais subnotificado, porque muitas vtimas no fazem denncia, registros chegaram a 5,2 mil casos em So Paulo no primeiro semestre de 2011

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Os estupros, que desde 2009 passaram a considerar também os casos de atentado ao pudor, tiveram um aumento de 9,4% no estado de São Paulo. Foram 5.249 casos no primeiro semestre de 2011. Na capital, houve queda de 4,6%, em relação aos seis primeiros meses de 2010.

Para o comandante geral da PM, Álvaro Batista Camilo, o crescimento dos números não significa somente aumento da violência contra a mulher. Pode revelar também um crescimento nos registros desse tipo de caso por causa da Lei Maria da Penha e da maior conscientização das vítimas. “O estupro é o crime mais subnotificado em todos os países do mundo. Nesse sentido, o aumento de registros pode ser considerado positivo.”

Tráfico de drogas

Já os flagrantes por tráfico de drogas totalizaram 18.027 casos de janeiro a junho de 2011, 22% a mais do que no primeiro semestre do ano passado. Por hora, a Polícia Militar realizou quatro flagrantes de tráfico de drogas em São Paulo.

As prisões de uma maneira geral também alcançaram números recordes. Considerando as prisões e os flagrantes de atos infracionais (envolvendo menores de idade), 360 pessoas foram detidas por dia. Como resultado, cresceu a população carcerária, que passou de 170.829, em dezembro de 2010, para 177.520 em junho deste ano. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email