Crise entre Bolsonaro e Congresso pode adiar votação de reforma da Previdência

O ambiente político no Congresso Nacional é o pior possível, o que deteriora as condições para a aprovação da reforma da Previdência; os parlamentares não confiam em que o governo Bolsonaro honre os compromissos que assumiu com os partidos de direita e centro-direita; votação pode ser adiada

Brasília - Plenário da Câmara dos Deputados vota destaques e MP sobre parcelamento de dívidas (Wilson Dias/Agência Brasil)
Brasília - Plenário da Câmara dos Deputados vota destaques e MP sobre parcelamento de dívidas (Wilson Dias/Agência Brasil) (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)

O ambiente político no Congresso Nacional é o pior possível, o que deteriora as condições para a aprovação da reforma da Previdência. 

Os parlamentares não confiam em que o governo Bolsonaro honre os compromissos que assumiu com os partidos de direita e centro-direita.  

A relação entre o governo e o Congresso piorou também depois dos ataques do clã Bolsonaro às direções das duas casas parlamentares.  

Enquanto a crise política não encontra solução, surge a tendência a adiar a discussão e votação da reforma no plenário para o segundo semestre.   A própria votação na comissão especial poderá ser adiada por cinco sessões, por pressão da oposição.

O ministro da Casa Civil Onyx Lorenzoni e a líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP), estão sendo responsabilizados pela quebra de confiança com parlamentares, pois prometeram liberação de verbas sem combinar angtes com os ministérios

As informações são da coluna Painel da Folha de S.Paulo

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247