Crise hídrica: Brasil importa energia por 12 vezes mais caro que produção eólica e solar

O MWh por hora uruguaio bateu R$ 1.988,48, enquanto as fontes alternativas são comercializadas a menos de R$ 165 o MWh

(Foto: ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - A crise energética do governo Bolsonaro leva o Brasil a ter de importar energia do Uruguai e da Argentina a preços exorbitantes. A Enel, distribuidora para 4 estados, pagou R$ 1.988,48 no Megawatt/hora (MWh) vendido pelo Uruguai; a Eletrobras pagou R$ 1.944,28, informa Lauro Jardim, no Globo.  

As fontes solar e eólica são comercializadas a um valor 12 vezes menor. Em julho, os lances nos leilões promovidos pela Aneel e a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica variaram de R$ 120 a R$ 138,50 por MWh no caso da solar; e de R$ 150 a R$ 161,61 por MWh no caso da eólica.

O MWh argentino bateu R$ 1.1895,50 na semana passada. Entre janeiro e julho, o preço médio do MWh argentino foi de R$ 1.128.

PUBLICIDADE

Além disso, o governo acionou as termelétricas, que geram mais despesas. Os custos elevados são divididos entre os consumidores por meio das bandeiras tarifárias, que desde junho deste ano estão na faixa vermelha patamar 2, a mais cara. 

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais: 

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email