Cruvinel: Fachin, a metamorfose

"A quais pressões, a quais chantagens Vossa Excelência está submetido para agir assim? Para que essa manipulação de levar o presidente Lula ao plenário? E por que falar em inelegibilidade agora, se o recurso da defesa não tratou deste assunto?", pergunta a jornalista Tereza Cruvinel em sua coluna no Jornal do Brasil sobre a mudança de posicionamento do ministro do STF Edson Fachin

"A quais pressões, a quais chantagens Vossa Excelência está submetido para agir assim? Para que essa manipulação de levar o presidente Lula ao plenário? E por que falar em inelegibilidade agora, se o recurso da defesa não tratou deste assunto?", pergunta a jornalista Tereza Cruvinel em sua coluna no Jornal do Brasil sobre a mudança de posicionamento do ministro do STF Edson Fachin
"A quais pressões, a quais chantagens Vossa Excelência está submetido para agir assim? Para que essa manipulação de levar o presidente Lula ao plenário? E por que falar em inelegibilidade agora, se o recurso da defesa não tratou deste assunto?", pergunta a jornalista Tereza Cruvinel em sua coluna no Jornal do Brasil sobre a mudança de posicionamento do ministro do STF Edson Fachin (Foto: Paulo Emílio)

"A quais pressões, a quais chantagens Vossa Excelência está submetido para agir assim? Para que essa manipulação de levar o presidente Lula ao plenário? E por que falar em inelegibilidade agora, se o recurso da defesa não tratou deste assunto?", pergunta a jornalista Tereza Cruvinel em sua coluna no Jornal do Brasil. 

"Na noite da véspera, a de segunda-feira, Fachin havia pisoteado sobre a estratégia de defesa de Lula, remetendo ao plenário um pedido de liberdade que, ele sabia, seria acolhido pela Segunda Turma, onde joga isolado, se ela o apreciasse. Com a manobra, subtraiu a competência da turma", ressalta. "Agora o STF entra em recesso e o caso de Lula ficará para quando a ministra-presidente Cármen Lúcia quiser", completa.

Leia a íntegra da coluna. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247