Curió pode terminar na gaiola

O MPF entrou com uma ao contra o coronel da reserva do Exrcito do Brasil, Sebastio Curi Rodrigues de Moura, pelo crime de sequestro qualificado contra cinco militantes capturados durante a represso guerrilha do Araguaia

Curió pode terminar na gaiola
Curió pode terminar na gaiola (Foto: DIDA SAMPAIO/AGÊNCIA ESTADODIDA SAMPAIO/AGÊNCIA ESTADO)

247 - O Ministério Público Federal (MPF) no Pará anunciou que formalizará nesta quarta-feira (14) denúncia à Justiça Federal em Marabá (PA) contra o coronel da reserva do Exército do Brasil, Sebastião Curió Rodrigues de Moura, pelo crime de sequestro qualificado contra cinco militantes capturados durante a repressão à guerrilha do Araguaia na década de 1970. Maria Célia Corrêa (Rosinha), Hélio Luiz Navarro Magalhães (Edinho), Daniel Ribeiro Callado (Doca), Antônio de Pádua Costa (Piauí) e Telma Regina Cordeira Corrêa (Lia) nunca mais foram vistos.

Os sequestros ocorreram durante a última operação de repressão à guerrilha, deflagrada em outubro de 1973, denominada de Operação Marajoara, comandada pelo então major Sebastião Curió. conhecido na época como Dr. Luchini. As violentas condutas de sequestrar, agredir e executar opositores do regime governamental militar, apesar de praticadas sob o pretexto de consubstanciarem medidas para restabelecer a paz nacional, consistiram em atos nitidamente criminosos, atentatórios aos direitos humanos e à ordem jurídica", diz a denúncia.

Se condenado, Curió pode pegar de 2 a 40 anos de prisão. A denúncia é assinada pelos procuradores da República Tiago Modesto Rabelo e André Casagrande Raupp, de Marabá, Ubiratan Cazetta e Felício Pontes Jr., de Belém, Ivan Cláudio Marx, de Uruguaiana, Andrey Borges de Mendonça, de Ribeirão Preto e Sérgio Gardenghi Suiama, de São Paulo.

A guerrilha do Araguaia foi um movimento armado, organizado por militantes do PCdoB na Amazônia, ao longo do rio Araguaia, no final da década de 1960. Inspirada nas revoluções socialistas em Cuba e China, ela tinha o objetivo de derrubar o governo militar. Durante a repressão à guerrilha, as Forças Armadas estabeleceram bases em Marabá (Casa Azul, Incra, um presídio militar e a base conhecida como Bacaba), Xambioá, Araguaína, Araguatins e São Domingos do Araguaia (Oito Barracas e São Raimundo). A militante do PCdoB, Maria Célia Correa, conhecida como Rosinha, foi vista por várias testemunhas na base da Bacaba, depois de ter sido capturada em janeiro de 1974. Ela esta desaparecida desde então.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247