CUT: Ato do dia 20 é por direitos, democracia e contra o golpismo

O protesto por uma nova agenda apara o Brasil que a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e os movimentos sociais farão nesta quinta-feira (20) não comunga das mesmas propostas da também chamada Agenda Brasil apresentada pelo Senado; "Neste dia 20 sabemos bem o que queremos e precisamos. Precisamos que a conta da crise não tenha como fiador o trabalhador e defendemos reformas estruturais", disse o presidente da CUT, Vagner Freitas; segundo ele, "o ato é pelos direitos, contra a direita e de defesa da classe trabalhadora. Chegou a hora de virar a página, acabar com esse terceiro turno, minar completamente o desejo pelo golpe de quem perdeu as últimas eleições"

O protesto por uma nova agenda apara o Brasil que a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e os movimentos sociais farão nesta quinta-feira (20) não comunga das mesmas propostas da também chamada Agenda Brasil apresentada pelo Senado; "Neste dia 20 sabemos bem o que queremos e precisamos. Precisamos que a conta da crise não tenha como fiador o trabalhador e defendemos reformas estruturais", disse o presidente da CUT, Vagner Freitas; segundo ele, "o ato é pelos direitos, contra a direita e de defesa da classe trabalhadora. Chegou a hora de virar a página, acabar com esse terceiro turno, minar completamente o desejo pelo golpe de quem perdeu as últimas eleições"
O protesto por uma nova agenda apara o Brasil que a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e os movimentos sociais farão nesta quinta-feira (20) não comunga das mesmas propostas da também chamada Agenda Brasil apresentada pelo Senado; "Neste dia 20 sabemos bem o que queremos e precisamos. Precisamos que a conta da crise não tenha como fiador o trabalhador e defendemos reformas estruturais", disse o presidente da CUT, Vagner Freitas; segundo ele, "o ato é pelos direitos, contra a direita e de defesa da classe trabalhadora. Chegou a hora de virar a página, acabar com esse terceiro turno, minar completamente o desejo pelo golpe de quem perdeu as últimas eleições" (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O protesto por uma nova agenda apara o Brasil que a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e os movimentos sociais farão nesta quinta-feira (20) não comunga das mesmas propostas da também chamada Agenda Brasil apresentada pelo Senado. "Neste dia 20 sabemos bem o que queremos e precisamos. Precisamos que a conta da crise não tenha como fiador o trabalhador e defendemos reformas estruturais", disse o presidente da CUT, Vagner Freitas. O sindicalista disse, ainda, que "o ato é pelos direitos, contra a direita e de defesa da classe trabalhadora. Chegou a hora de virar a página, acabar com esse terceiro turno, minar completamente o desejo pelo golpe de quem perdeu as últimas eleições".

Freitas afirmou que os participantes do ato previsto para esta quinta-feira visam defender "propostas", além de querer "democracia e que o Brasil retome uma conjuntura de criação de emprego e renda". Para ele, as propostas apresentadas pelo Senado até agora na Agenda Brasil atacam conquistas da sociedade brasileira.

"Neste dia 20 sabemos bem o que queremos e precisamos. Precisamos que a conta da crise não tenha como fiador o trabalhador e defendemos reformas estruturais. Passou da hora de fazer uma reforma agrária no Brasil, a reforma tributária, taxar as grandes fortunas, termos um novo marco regulatório para a comunicação para democratizá-la. E, claro, defendermos a Petrobras e o pré-sal, que financiará mais investimentos em educação e saúde. A intolerância e a Agenda Brasil só interessa aos golpistas e a quem financia o golpe, dentro e fora do Congresso", disparou.

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email