CUT e FUP: leilão do pré-sal foi um “acinte” e “mais um crime do governo Temer”

A CUT (Central Única dos Trabalhadores) e a FUP (Federação Única dos Petroleiros) criticaram duramente o resultado do leilão dos campos de petróleo do pré-sal, que arrecadou R$ 6,15 bilhões contra uma estimativa inicial de R$ 7,75 bilhões do governo Temer; "Ao invés de ser investigado e punido por seus crimes de corrupção, o ilegítimo continua livre para vender as nossas riquezas naturais a preço de banana, prejudicando a classe trabalhadora e os mais pobres que seriam os mais beneficiados com melhorias na saúde e na educação com milhões de reais dos royalties", disse o presidente da CUT, Vagner Freitas

A CUT (Central Única dos Trabalhadores) e a FUP (Federação Única dos Petroleiros) criticaram duramente o resultado do leilão dos campos de petróleo do pré-sal, que arrecadou R$ 6,15 bilhões contra uma estimativa inicial de R$ 7,75 bilhões do governo Temer; "Ao invés de ser investigado e punido por seus crimes de corrupção, o ilegítimo continua livre para vender as nossas riquezas naturais a preço de banana, prejudicando a classe trabalhadora e os mais pobres que seriam os mais beneficiados com melhorias na saúde e na educação com milhões de reais dos royalties", disse o presidente da CUT, Vagner Freitas
A CUT (Central Única dos Trabalhadores) e a FUP (Federação Única dos Petroleiros) criticaram duramente o resultado do leilão dos campos de petróleo do pré-sal, que arrecadou R$ 6,15 bilhões contra uma estimativa inicial de R$ 7,75 bilhões do governo Temer; "Ao invés de ser investigado e punido por seus crimes de corrupção, o ilegítimo continua livre para vender as nossas riquezas naturais a preço de banana, prejudicando a classe trabalhadora e os mais pobres que seriam os mais beneficiados com melhorias na saúde e na educação com milhões de reais dos royalties", disse o presidente da CUT, Vagner Freitas (Foto: Paulo Emílio)

247 - O resultado do leilão dos campos de petróleo do pré-sal, que arrecadou apenas R$ 6,15 bilhões contra uma estimativa inicial feita pelo próprio governo Michel Temer de R$ 7,75 bilhões, consumou a entrega do patrimônio nacional às multinacionais.

"Ao invés de ser investigado e punido por seus crimes de corrupção, o ilegítimo continua livre para vender as nossas riquezas naturais a preço de banana, prejudicando a classe trabalhadora e os mais pobres que seriam os mais beneficiados com melhorias na saúde e na educação com milhões de reais dos royalties", disse o presidente da CUT, Vagner Freitas.

Para a Federação Única dos Petroleiros (FUP), a entrega do pré-sal para grupos internacionais a um centavo o litro, "é mais um crime do governo ilegítimo de Temer contra o Brasil e contra os brasileiros". Segundo o coordenador geral da FUP, José Maria, "é triste ver o Brasil doando o petróleo a um centavo a grandes empresas internacionais. Nossa soberania está indo para o ralo, junto com nossos empregos e o desenvolvimento do país

A FUP destaca, ainda, que o montante arrecadado corresponde a pouco mais da metade do bônus de licitação do campo de Libra, que foi vendido na primeira rodada de licitações. O valor de Libra foi de R$ 15 bilhões e nem mesmo este valor foi obtido pelo governo. "É um acinte e só acontece porque estamos vivendo um período tenebroso de desrespeito ao Estado de direito", disse Freitas.

Para o secretário nacional de Comunicação da CUT, Roni Barbosa, "é lastimável que um tema tão importante para o povo seja tratado de forma distorcida, com informações apenas sobre o bônus que as multinacionais pagarão. Por que não fazem matérias dizendo quanto a sociedade brasileira vai perder em renúncia fiscal? Estamos falando em perdas de mais de 1 trilhão de reais!", afirma.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247