Dallagnol planejou ataque ao presidente do STF

Novas revelações do site The Intercept Brasil publicadas na manhã desta quinta-feira (1º/8) mostram que o procurador Deltan Dallagnol estimulou ataque ao presidente do STF - Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, em 2016, época em que Toffoli era visto pela Operação Lava Jato como um adversário disposto a frear seu avanço

Deltan Dallagnol
Deltan Dallagnol (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Novas revelações do site The Intercept Brasil publicadas na manhã desta quinta-feira (1º/8) mostram que o procurador Deltan Dallagnol estimulou ataque ao presidente do STF - Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli. 

Em 2016, Dallagnol incentivou colegas em Brasília e Curitiba a investigar o ministro; Naquela, época - diz o jornal Folha de S.Paulo, Toffoli era visto pela Operação Lava Jato como um adversário disposto a frear seu avanço. 

Deltan, coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, buscou informações sobre as finanças pessoais de Toffoli e sua mulher e evidências que os ligassem a empreiteiras envolvidas com a corrupção na Petrobras.  

No dia 13 de julho de 2016, Deltan fez uma consulta aos procuradores que negociavam com a empresa.  "Caros, a OAS touxe a questão do apto do Toffoli?", perguntou no grupo que eles usavam no Telegram. "Que eu saiba não", respondeu o promotor Sérgio Bruno Cabral Fernandes, de Brasília. "Temos que ver como abordar esse assunto. Com cautela."  

É mais uma ilegalidade do procurador, que vem à tona pela Vaza Jato, pois ministros do STF não podem ser investigados por procuradores da primeira instância, como Deltan e os demais integrantes da força-tarefa.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247