Damares cria novo cadastro de igrejas, que receberão verbas públicas para "trabalhar" para o governo

Apesar dos objetivos declarados, é nítido que a verdadeira motivação por trás da medida é favorecer igrejas evangélicas na interlocução com os mais pobres

Damares Alves
Damares Alves (Foto: Isac Nóbrega/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Brasil de Bolsonaro parece ter voltado uns dois séculos no tempo. Foi publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira (27) uma portaria que pede a igrejas para que se cadastrem, voluntariamente, em um banco de dados cujo objetivo é "selar a parceria entre Estado e igrejas em ações sociais". 

A iniciativa é liderada pela ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, e busca oferecer verbas públicas para igrejas que "trabalhem" para o governo Bolsonaro.

O objetivo, conforme reportado no Estadão, é efetuar o cadastro de instituições religiosas que têm interesse “em colaborar com o atendimento de públicos vulneráveis e em forças-tarefa de socorro às vítimas de situações de emergência ou de calamidade pública”.

No entanto, por trás dos objetivos declarados, é nítido que a verdadeira motivação é favorecer igrejas evangélicas na interlocução com os mais pobres, enquanto grupos especializados em tal tipo de ação são deixados de lado. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email