Damares foge de protesto de anistiados pelos fundos de um restaurante

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, fugiu pelos fundos de um restaurante, para não encarar um grupo de anistiados que protestavam contra a política de desmonte da ministra na Comissão de Anistia

Damares foge de protesto de anistiados pelos fundos de um restaurante
Damares foge de protesto de anistiados pelos fundos de um restaurante (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

247 - Para evitar de encarar um grupo de anistiados políticos perseguidos pela ditadura militar, a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, saiu pelos fundos de um restaurante. A fuga é porque os anistiados protestavam contra a política de desmonte da ministra na Comissão de Anistia.

Damares mudou a composição do conselho, inserindo militares ou ex-militares, indeferiu em bloco 265 processos que incluía pedidos de indenizações, anunciou uma suposta auditoria insinuando, sem apresentar provas, que houve danos aos cofres da União.

A ministra não compareceu a audiência pública convocada pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, com cerca de 80 representantes de associações de anistiados. Mas participou de sessão de outra comissão que tratou sobre Educação.

No entanto, a informação de que a ministra estava no mesmo prédio, no 10º andar do Anexo IV, onde funciona o restaurante-escola do Senac, levou dezenas de anistiados ao local.

"Ela disse que ia nos receber e não recebeu. Ela está no décimo andar, vamos em passeata, vamos fazer pressão, vamos criar um fato político!", convocou um manifestante, segundo informou a Folha.

Os anistiados foram até o local para falar com a ministra e estenderam uma faixa com os dizeres: "Ditadura nunca mais! Em defesa da Anistia! Para que nunca se esqueça, para que nunca mais aconteça". Um dos integrantes do grupo abordou a ministra, que estava numa área restrita a parlamentares, e disse que ela se comprometeu a falar com os anistiados após acabar de comer.

Mas após uma hora de espera, apenas dois policiais legislativos das Câmara apareceram para dizer que a ministra já havia deixado o prédio. Funcionários do restaurante contaram que ela saiu pelos fundos, usando um elevador de serviço.

"Acho que ela fugiu, como ela fugiu ontem da comissão da mulher. Ela não quer dialogar. Ela falou que iria receber um grupo de anistiados hoje às 10h e não recebeu, não deu satisfação. E agora deve ter ouvido nosso clamor aqui fora e também, para evitar de encarar, conversar, dialogar, fugiu. E isso é muito indigno", disse Jane de Alencar, presa e torturada pela ditadura.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247