“Daria golpe no mesmo dia”, disse Bolsonaro sobre o que faria ao chegar ao poder

Apesar de viajar aos EUA e tentar suavizar sua imagem junto aos investidores estrangeiros, Bolsonaro defendia abertamente a tortura e o fim da democracia em 1999; em entrevista ao programa Câmera Aberta, da TV Bandeirantes, em 1999, Bolsonaro disse, sem rodeios, o que faria ao chegar ao poder: “Daria golpe no mesmo dia”  

Apesar de viajar aos EUA e tentar suavizar sua imagem junto aos investidores estrangeiros, Bolsonaro defendia abertamente a tortura e o fim da democracia em 1999; em entrevista ao programa Câmera Aberta, da TV Bandeirantes, em 1999, Bolsonaro disse, sem rodeios, o que faria ao chegar ao poder: “Daria golpe no mesmo dia”  
Apesar de viajar aos EUA e tentar suavizar sua imagem junto aos investidores estrangeiros, Bolsonaro defendia abertamente a tortura e o fim da democracia em 1999; em entrevista ao programa Câmera Aberta, da TV Bandeirantes, em 1999, Bolsonaro disse, sem rodeios, o que faria ao chegar ao poder: “Daria golpe no mesmo dia”   (Foto: Charles Nisz)

Jornal GGN -  Bernardo Mello Franco resgatou em sua coluna na Folha, nesta terça (10), uma entrevista em que Jair Bolsonaro fala livremente sobre como o governo brasileiro deveria ser, na sua visão. À época no terceiro mandato de deputado, Bolsonaro disse que daria um golpe se assumisse a presidência da República, defendeu a tortura e uma guerra civil para limpar a sociedade, apontou Fernando Henrique Cardoso como o primeiro a ser fuzilado e ainda disse que o voto dos eleitores não muda nada. 

"Através do voto, você não vai mudar nada neste país. Nada, absolutamente nada. Você só vai mudar, infelizmente, quando nós partirmos para uma guerra civil aqui dentro. E fazendo um trabalho que o regime militar não fez. Matando 30 mil, e começando por FHC".

A entrevista mostra um Bolsonaro sem retoques, diz o colunista da Folha. À vontade, ele se gaba de sonegar impostos e estimula os telespectadores a fazerem o mesmo. "Conselho meu e eu faço. Eu sonego tudo que for possível", afirma. Depois, diz que a democracia é uma "porcaria" e conta o que faria se chegasse ao poder: "Daria golpe no mesmo dia. Não funciona".

Bolsonaro não era um jovem desavisado ao dar essas declarações, que podem ser vistas no YouTube, complementa Mello Franco. Tinha 44 anos e exercia o terceiro mandato de deputado —hoje está no sétimo. Era filiado ao PPB (atual PP), o partido de Paulo Maluf.

A entrevista completa está disponível abaixo.

 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247