DCM questiona decisão monocrática de Fux no caso Moraes

"Veja só: o ministro Luiz Fux arquivou liminarmente o caso depois de oito dias. Oito dias, repito. Uma decisão considerada 'monocrática'. Estranhamente, Fux não quis saber, como eu e você queremos, o que esses 4 milhões pagaram. Simplesmente não se interessou. Em tese, são 'honorários advocatícios'. Então tá", diz Kiko Nogueira, no DCM, sobre o arquivamento sumário do caso envolvendo o ministro Alexandre de Moraes

DCM questiona decisão monocrática de Fux no caso Moraes
DCM questiona decisão monocrática de Fux no caso Moraes (Foto: STF)

247 – O jornalista Kiko Nogueira questiona, em artigo publicado no DCM, a decisão do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, de arquivar sumariamente um caso envolvendo o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes (saiba mais aqui).

"Segundo a Folha, Moraes recebeu 4 milhões de reais de uma empresa investigada, a JHSF Participações, entre 2010 e 2014. O dinheiro foi para seu escritório de advocacia. Veja só: o ministro Luiz Fux arquivou liminarmente o caso depois de oito dias. Oito dias, repito. Uma decisão considerada 'monocrática'”, diz ele.

"Estranhamente, Fux não quis saber, como eu e você queremos, o que esses 4 milhões pagaram. Simplesmente não se interessou. Em tese, são “honorários advocatícios”. Então tá. Mais um vez, o fato de o sujeito não ser do PT já lhe de dá uma imensa vantagem competitiva na Justiça."

Leia a íntegra do comentário de Kiko no DCM.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247