Decano do STF: corrupção impregnou-se nos partidos

Durante o seu voto contra o pedido de liberdade de Fernando Baiano, o ministro Celso de Mello classificou como “preocupante” as investigações relacionadas à Operação Lava Jato: “Este processo de habeas corpus parece revelar um dado absolutamente impressionante e profundamente preocupante, o de que a corrupção impregnou-se no tecido e na intimidade de alguns partidos e instituições estatais, transformando-se em conduta administrativa, degradando a própria dignidade da política, fazendo-a descer ao plano subalterno da delinquência institucional”

Durante o seu voto contra o pedido de liberdade de Fernando Baiano, o ministro Celso de Mello classificou como “preocupante” as investigações relacionadas à Operação Lava Jato: “Este processo de habeas corpus parece revelar um dado absolutamente impressionante e profundamente preocupante, o de que a corrupção impregnou-se no tecido e na intimidade de alguns partidos e instituições estatais, transformando-se em conduta administrativa, degradando a própria dignidade da política, fazendo-a descer ao plano subalterno da delinquência institucional”
Durante o seu voto contra o pedido de liberdade de Fernando Baiano, o ministro Celso de Mello classificou como “preocupante” as investigações relacionadas à Operação Lava Jato: “Este processo de habeas corpus parece revelar um dado absolutamente impressionante e profundamente preocupante, o de que a corrupção impregnou-se no tecido e na intimidade de alguns partidos e instituições estatais, transformando-se em conduta administrativa, degradando a própria dignidade da política, fazendo-a descer ao plano subalterno da delinquência institucional” (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O decano do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Celso de Mello, disse durante julgamento de habeas corpus impetrado pelo empresário Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, que a “corrupção impregnou-se na intimidade de alguns partidos”.

Durante o seu voto contra o pedido de liberdade de Baiano, o ministro Celso de Mello classificou como “preocupante” as investigações relacionadas à Operação Lava Jato. “Este processo de habeas corpus parece revelar um dado absolutamente impressionante e profundamente preocupante, o de que a corrupção impregnou-se no tecido e na intimidade de alguns partidos e instituições estatais, transformando-se em conduta administrativa, degradando a própria dignidade da política, fazendo-a descer ao plano subalterno da delinquência institucional”, disse o ministro.

A Segunda Turma do STF negou nesta terça-feira (18) novo pedido de liberdade impetrado por Baiano, um dos investigados pela Operação Lava Jato.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email