CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Brasil

Defesa de Bolsonaro cumpre prazo de Moraes e explica esconderijo na embaixada da Hungria: "fuga seria improvável"

"É ilógico sugerir que a visita do peticionário à embaixada de um país estrangeiro fosse um pedido de asilo", afirma defesa do ex-mandatário

Bolsonaro na Embaixada da Hungria (Foto: Reprodução)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 – Os advogados do ex-mandatário Jair Bolsonaro (PL) declararam nesta quarta-feira (27) ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, que ele não estava preocupado com a prisão preventiva quando se hospedou na embaixada da Hungria em Brasília, de 12 a 14 de fevereiro.

“Diante da ausência de preocupação com a prisão preventiva, é ilógico sugerir que a visita do peticionário à embaixada de um país estrangeiro fosse um pedido de asilo ou uma tentativa de fuga”, alega a defesa de Bolsonaro. “A própria imposição das recentes medidas cautelares tornava essa suposição altamente improvável e infundada.”

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Outro argumento utilizado pelos advogados é que o ex-mandatário “sempre manteve interlocução próxima com as autoridades daquele país, tratando de assuntos estratégicos de política internacional de interesse do setor conservador”.

A hospedagem de Bolsonaro na Embaixada foi revelada na segunda-feira (25) pelo jornal The New York Times. Quatro dias antes da estadia, em 8 de fevereiro, a Polícia Federal havia apreendido o passaporte do ex-mandatário. A medida cautelar foi determinada por Moraes. (Com informações da CartaCapital).

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Relacionados

Carregando...

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Carregando...

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO