Defesa de Lula entra com pedido de suspeição de procuradores no caso dos caças suecos

Os advogados do petista alegam que "a acusação deduzida na denúncia que originou a ação penal em tela foi idealizada pela Lava Jato de Curitiba, dentro de um 'plano' que buscava liquidar" o ex-presidente

Ex-presidente Lula
Ex-presidente Lula (Foto: Ricardo Stuckert)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A defesa do ex-presidente Lula ingressou na noite desta segunda-feira (3) na 10° Vara Federal em Brasília com um pedido de suspeição dos procuradores que atuam no caso dos caças suecos comprados durante o governo Dilma, apontando que as denúncias sobre irregularidades foram idealizadas pela Lava Jato de Curitiba, declarada pelo STF incompetente e suspeita. 

Os advogados do petista alegam, com base em mensagens apreendidas na Operação Spoofing, que "a acusação deduzida na denúncia que originou a ação penal em tela foi idealizada pela Lava Jato de Curitiba, dentro de um 'plano' que buscava liquidar" o ex-presidente.

Eles denunciam também a atuação de autoridades norte-americanas no processo. "Para fabricar a acusação", dizem, "os procuradores de Curitiba recorreram à atuação ilegal da Receita Federal e até mesmo à articulações com autoridades norte-americanas".

Os advogados destacam que "procuradores de Brasília combinaram com a Lava Jato de Curitiba até mesmo o conteúdo do depoimento de Antonio Palocci, que foi ouvido como 'testemunha do juízo'". (Com informações da CNN Brasil.)

Leia na íntegra o pedido da defesa de Lula: 


Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email