Delator diz que Palocci pediu propina em sondas do pré-sal

Depoimento ao Ministério Público Federal no ano passado, o ex-executivo da Odebrecht Márcio Faria acusou o ex-ministro Antonio Palocci de ter cobrado propina para o PT em um contrato da empreiteira para construção de seis sondas do pré-sal; Faria disse ter sido procurado por Marcelo Odebrecht, que teria relatado a suposta cobrança de Palocci; segundo ele, Pedro Barusco, ex-gerente de Serviços da Petrobras e à época funcionário da Sete Brasil, procurou o consórcio "solicitando vantagem indevida"; Esse pedido, disse o delator, seria de 65% para o PT e 35% para a "casa" – o ex-executivo não explica o que seria a "casa"

Depoimento ao Ministério Público Federal no ano passado, o ex-executivo da Odebrecht Márcio Faria acusou o ex-ministro Antonio Palocci de ter cobrado propina para o PT em um contrato da empreiteira para construção de seis sondas do pré-sal; Faria disse ter sido procurado por Marcelo Odebrecht, que teria relatado a suposta cobrança de Palocci; segundo ele, Pedro Barusco, ex-gerente de Serviços da Petrobras e à época funcionário da Sete Brasil, procurou o consórcio "solicitando vantagem indevida"; Esse pedido, disse o delator, seria de 65% para o PT e 35% para a "casa" – o ex-executivo não explica o que seria a "casa"
Depoimento ao Ministério Público Federal no ano passado, o ex-executivo da Odebrecht Márcio Faria acusou o ex-ministro Antonio Palocci de ter cobrado propina para o PT em um contrato da empreiteira para construção de seis sondas do pré-sal; Faria disse ter sido procurado por Marcelo Odebrecht, que teria relatado a suposta cobrança de Palocci; segundo ele, Pedro Barusco, ex-gerente de Serviços da Petrobras e à época funcionário da Sete Brasil, procurou o consórcio "solicitando vantagem indevida"; Esse pedido, disse o delator, seria de 65% para o PT e 35% para a "casa" – o ex-executivo não explica o que seria a "casa" (Foto: Aquiles Lins)

247 - Em acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal, o ex-executivo da Odebrecht Márcio Faria acusou o ex-ministro Antonio Palocci de ter cobrado propina para o PT em um contrato da empreiteira para construção de seis sondas do pré-sal. Faria disse ter sido procurado por Marcelo Odebrecht, que teria relatado a suposta cobrança de Palocci. 

"Uma vez assinado o contrato, aí [que] apareceram as solicitações de vantagem indevida", disse. Aos investigadores, Faria, então, relatou que Pedro Barusco, ex-gerente de Serviços da Petrobras e à época funcionário da Sete Brasil, procurou o consórcio "solicitando vantagem indevida". Esse pedido, disse o delator, seria de 65% para o PT e 35% para a "casa" – o ex-executivo não explica o que seria a "casa".

Em depoimento ao juiz Sérgio Moro nessa quinta-feira, 21, Palocci negou que tivesse solicitado qualquer vantagem indevida à Odebrecht (leia aqui).

"Passou um tempo, fui chamado pelo Marcelo Odebrecht dizendo que havia sido procurado pelo Antonio Palocci, onde ele cobrou do Marcelo essa propina", disse o delator.

"O Marcelo disse que desconhecia o assunto, que não sabia do que se tratava, que não iria entrar em assunto operacional e que não deu maiores informações ao ex-ministro Palocci. Em seguida, Marcelo me chamou e perguntou o que estava acontecendo. Contei toda essa história para ele. [...] Conclusão: passou o tempo, veio a Lava Jato, e não pagamos o percentual que seria devido ao PT", concluiu o delator.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247