Delegado acredita em ação orquestrada entre escolas

Luis Fernando Saad, responsvel pelo inqurito que investiga o tumulto na apurao do carnaval de So Paulo, afirma ter convico de que algumas escolas se reuniram antes e depois do ocorrido

Delegado acredita em ação orquestrada entre escolas
Delegado acredita em ação orquestrada entre escolas (Foto: DANIEL TEIXEIRA/Agência Estado)

Aline Oliveira e Gisele Federicce _247 - O delegado Luis Fernando Saad conversou hoje com a imprensa na Delegacia Especializada no Atendimento ao Turista. Ele é responsável pelo inquérito que investiga a confusão ocorrida durante a apuração das escolas de samba de São Paulo, no Anhembi, na última terça-feira. Saad acredita que houve, sim, uma ação orquestrada entre as escolas e afirma ter convicção de que os membros das escolas se reuniram antes e depois do tumulto.

O delegado explica que poucas pessoas foram ouvidas até agora e que não dá para prever quantas ainda prestarão depoimento. “A sociedade vai ter uma resposta à altura”, garante, porém, o delegado. De acordo com Saad, ninguém será indiciado sem que se tenha plena convicção do que aconteceu. Sobre o tumulto, Saad afirmou que os envolvidos não estão sendo indiciados por invasão, já que a área onde estavam os jurados se trata de um local público. A invasão só é considerada quando se trata de um espaço restrito ou privado.

Mais cedo, prestaram depoimento o presidente da Pérola Negra, que teve uma de suas alegorias incediada em meio à confusão do Anhembi, e o dirigente da Gaviões, Wagner Costa (leia mais). Ontem, foram ouvidos os dirigentes da Império de Casa Verde e da Camisa Verde e Branco. Na próxima segunda-feira, serão ouvidos o presidente da Liga das Escolas de Samba; a presidente da Rosas de Ouro, e o presidente, o vice-presidente e intérprete da Vai-Vai. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247