Delegado pede investigação contra vereador que criticou PF no caso da UFSC

A Associação dos Delegados da Polícia Federal pediu abertura de investigação contra o vereador de Niterói (RJ) Sandro Mauro Lima de Araújo (PPS) após este criticar a Operação Ouvidos Moucos, que investiga supostos desvios de verbas na UFSC e que resultou no suicídio do ex-reitor da instituição Luis Carlos Cancellier de Olivo; ADPF também ingressou com ação na corregedoria da PF pedindo providências sobre o vereador que disputará o cargo de deputado federal nas eleições deste ano

Delegado pede investigação contra vereador que criticou PF no caso da UFSC
Delegado pede investigação contra vereador que criticou PF no caso da UFSC (Foto: Henrique Almeida / Agecom)

247 - A Associação dos Delegados da Polícia Federal pediu abertura de investigação contra o vereador de Niterói (RJ) Sandro Mauro Lima de Araújo (PPS) após este criticar a Operação Ouvidos Moucos, que investiga supostos desvios de verbas na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e que resultou no suicídio do ex-reitor da instituição Luis Carlos Cancellier de Olivo. O pedido de investigação, enviado por ofício à Câmara Municipal de Niterói, foi assinado pelo presidente da ADPF, Evandir Felix de Paiva, alega que o parlamentar teria faltado com o decoro.

O vereador, que também é policial federal, costuma criticar com frequência as ações de vários delegados federais. No caso específico, Sandro Mauro usou as redes sociais para criticar a Operação Ouvidos Moucos. A ADPF também ingressou com uma ação na corregedoria da PF pedindo providências sobre o comportamento do vereador que disputará o cargo de deputado federal nas eleições deste ano.

No documento, a ADPF alega que o vereador publicou "críticas levianas, ofensivas e desarrazoadas feitas contra os gestores da Polícia Federal em rede social aberta ao público, fora dos limites de atuação como parlamentar municipal".

A Operação Ouvidos Moucos foi deflagrada pela PF no ano passado para investigar um suposto desvio de verbas de bolsas de estudo na UFSC. Em setembro, o reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo e outros seis professores foram presos. Em outubro, ele se matou ao se atirar do vão do sétimo andar de um shopping de Florianópolis. Até o momento a PF não conseguiu provar que Cancellier tivesse se beneficiado do esquema e do sétimo andar de um shopping de Florianópolis.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247