Deltan comparou Marisa Letícia a vegetal e procurador falou em eliminação de testemunhas

Novas revelações do site Intercept Brasil, desta vez em parceria com o Uol, apontam que procuradores da Lava Jato ironizaram a morte de Dona Marisa Letícia, então esposa de Lula e vítima de AVC. "Um amigo de um amigo de uma prima disse que chegou ao atendimento sem resposta, como um vegetal", afirmou Dallagnol no Telegram. O procurador Januário Paludo responde: "estão eliminando as testemunhas"

(Foto: ABr | Heinrich Aikawa/ Instituto Lula)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Novas revelações do site Intercept Brasil, desta vez em parceria com o Uol, apontam que procuradores da Operação Lava Jato ironizaram a morte de Dona Marisa Letícia, vítima e um AVC hemorrágico em São Paulo em 24 de janeiro de 2017. Em 3 de fevereiro daquele ano a morte dela seria confirmada. 

"Um amigo de um amigo de uma prima disse que chegou ao atendimento sem resposta, como um vegetal", escreveu Dallagnol em chat no aplicativo Telegram. 

O procurador Januário Paludo responde: 'estão eliminando as testemunhas". 

Em outras conversas, o procurador Athayde Ribeiro Costa escreve: Marisa Letícia morre".

A procurador Laura Tessler responde: "quem for fazer a próxima audiência do Lula, vá com uma dose de paciência para a sessão de vitimização". 


O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email