Deltan nega a realidade e ataca presidente do STF

Mesmo diante das evidências incontestáveis de que a Lava Jato quebrou praticamente todo o setor de engenharia nacional e desempregou milhões de trabalhadores, o procurador Deltan Dallagnol fez questão de negar a realidade e ainda por cima atacou o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, que apenas disse o óbvio: a Lava Jato, sim, quebrou várias empresas brasileiras

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O procurador e coordenador da força-tarefa da lava Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol, chamou de “irresponsável” a declaração do presidente do Supremo Tribunal federal (STF), ministro Dias Toffoli que disse que a Lava Jato “foi muito importante”, mas também “destruiu empresas”. “Dizer que a Lava Jato quebrou empresas é uma irresponsabilidade: 1. É fechar os olhos para a crise econômica relacionada a fatores que incluem incompetência, má gestão e corrupção”, postou Dallagnol no Twitter. 

A postagem foi afeita após o jornal O Estado de São Paulo publicar uma entrevista onde afirmava que Ministério Público  “deveria ser uma instituição mais transparente” e que “a Lava-Jato destruiu empresas". "A Lava-Jato foi muito importante, desvendou casos de corrupção, colocou pessoas na cadeia, colocou o Brasil numa outra dimensão do ponto de vista do combate à corrupção, não há dúvida. Mas destruiu empresas. Isso jamais aconteceria nos Estados Unidos. Jamais aconteceu na Alemanha", afirmou o presidente do STF entrevista. 

Em outra postagem, Dallagnol disse que não se pode "fechar os olhos para o fato de que a operação vem recuperando por meio dos acordos mais de R$ 14 bilhões de reais para os cofres públicos, algo inédito na história", e que a declaração pode ser comparada a “ fechar os olhos para a raiz do problema, a prática por muitos políticos e empresários de uma corrupção político-partidária sanguessuga, que drena a vida dos brasileiros”. 

Confira as postagens de Deltan Dallagnol sobre o assunto. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email