Depois de chamá-lo de "o cara", Obama faz ataque a Lula em livro de memórias

Em entrevista a Pedro Bial, ex-presidente dos EUA fala sobre o recém lançado livro de memórias “Uma Terra Prometida”, no qual descreve Lula como um chefão mafioso, cujo governo é marcado por clientelismo e "propina na casa dos bilhões”

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama concedeu entrevista ao apresentador Pedro Bial, da TV Globo, para divulgar seu recém lançado livro de memórias, “Uma Terra Prometida”, que no Brasil recebeu o selo da Companhia das Letras.

Na obra, Obama faz um ataque ao ex-presidente Lula e o descreve de maneira bem diferente daquela de 2009, quando o chamou de “o cara”, e de “o político mais popular da Terra”.

No trecho do livro lido por Pedro Bial, Lula é descrito por Obama da seguinte maneira: “Ex-líder sindical grisalho e cativante, com uma passagem pela prisão por protestar contra o governo militar e eleito em 2002, tinha iniciado uma série de reformas pragmáticas que fez as taxas de crescimento do Brasil dispararem, ampliando sua classe média e assegurando moradia e educação para milhões de cidadãos mais pobres. Constava também que ele tinha os escrúpulos de um chefão de Tammany Hall e circulavam boatos de clientelismo governamental, negócios por baixo do pano e propinas na casa dos bilhões”, leu Bial. 

Tammany Hall era uma organização política ligada à máfia que explorava Nova York, sinônimo de corrupção, comparável hoje às milícias no Rio de Janeiro.

Na entrevista, Pedro Bial pergunta a Obama se ele ainda chamaria Lula de “o cara”. Obama não responde, e volta a fazer uma descrição de Lula como um político ambíguo. 

"Com os relatos de corrupção que surgiram, que afetaram o sistema brasileiro, na época eu não sabia de todos eles. Acho que o dom que o Lula tinha ao se conectar com o povo brasileiro e o progresso econômico que realmente aconteceu, quando ele tirou as pessoas da pobreza naquela época são coisas que não podem ser negadas", disse Obama na entrevista. 

"Uma das coisas que eu tento fazer no livro é descrever as complexidades  de todas estas figuras. FAlo de Putin, falo de Merkel, falo de Singh, da Índia, você acaba percebendo quando está no palco do mundo é que a maioria dos líderes são um reflexo das contradições e das tensões dos seus países", disse Obama. 

Confira:

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247