Derrotado no STF, Dallagnol agora ataca sua chefe Raquel Dodge

Procurador da Lava Jato dispara contra a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que declarou como ilegal e inconstitucional a fundação bilionária a ser criada e administrada pela força-tarefa, com dinheiro da Petrobrás; no Twitter, Deltan Dallagnol publicou mensagens reforçando tese do Globo de que Dodge teria atuado para "agradar a classe política" com tal posição e ainda que procuradores teriam pedido demissão "em protesto contra sua conduta"

Derrotado no STF, Dallagnol agora ataca sua chefe Raquel Dodge
Derrotado no STF, Dallagnol agora ataca sua chefe Raquel Dodge

247 - Derrotado no Supremo Tribunal Federal, que nesta sexta-feira 15 suspendeu, com decisão do ministro Alexandre de Moraes, a fundação de R$ 2,5 bilhões a ser administrada pela força-tarefa da Lava Jato, o procurador Deltan Dallagnol abriu guerra contra sua chefe, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

Nesta semana, Raquel Dodge declarou como ilegal e inconstitucional a fundação que seria criada, segundo os procuradores, para administrar ações contra a corrupção, mas que não teria qualquer controle, entre outras irregularidades, como apontou o líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta.

No Twitter, Dallagnol tem publicado mensagens, por exemplo, reforçando tese do jornal O Globo de que Dodge teria atuado para "agradar a classe política" com seu posicionamento contra a fundação e ainda que procuradores teriam feito críticas internas e pedido demissão "em protesto contra sua conduta".

 

Inscreva-se na TV 247 e assista a um trecho do voto do ministro Gilmar Mendes durante sessão do STF nesta quinta, em que ele dispara contra os procuradores, chamando-os até de "cretinos", ao criticar a fundação da Lava Jato. O julgamento decidiu, por 6 votos a 5, que a Justiça Eleitoral tem competência para julgar crimes comuns - como corrupção e lavagem de dinheiro - conexos com delitos eleitorais, impondo mais uma derrota para a Lava Jato.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247