Desembargadora que acusou Marielle de envolvimento com bandidos vira ré por calúnia

A desembargadora Marília Castro, que atacou a honra da vereadora Marielle Franco, assassinada no ano passado, terá que responder por calúnia. O STJ (Superior Tribunal de Justiça) acatou parcialmente a queixa-crime contra a magistrada. Em março de 2018, após a morte da parlamentar, Neves escreveu em uma rede social que a vereadora "estava engajada com bandidos"

(Foto: Agência Brasil)

247 - A desembargadora Marília Castro, que atacou a honra da vereadora Marielle Franco, assassinada no ano passado, terá que responder por calúnia. O STJ (Superior Tribunal de Justiça) acatou parcialmente a queixa-crime contra a magistrada. Em março de 2018, após a morte da parlamentar, Neves escreveu em uma rede social que a vereadora "estava engajada com bandidos".

A reportagem do jornal Folha de S. Paulo destaca que "a desembargadora ainda afirmou que  o 'comportamento' dela [Marielle], 'ditado por seu engajamento político', foi determinante para a morte. E que há uma tentativa da esquerda de 'agregar valor a um cadáver tão comum quanto qualquer outro'."

A matéria ainda informa que "a ação foi protocolada pelos pais, irmã e companheira de Marielle. A decisão da corte especial do STJ torna a desembargadora ré em ação penal."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247