Dilma ao 247: o cerne da democracia já está comprometido

"A promessa da democracia é o tratamento igual para todos. É por isso que a Justiça é representada por uma senhora com uma balança na mão e a venda no rosto. E isso nós não temos. Então eu acho que o cerne do regime democrático está comprometido", afirmou a presidente deposta Dilma Rousseff ao colunista do 247 Paulo Moreira Leite, durante ato em homenagem ao Dia Internacional da Mulher; Dilma disse que, mesmo sob ameaça de prisão, o ex-presidente Lula será decisivo nas eleições; "É muito grave que o presidente Lula não tenha tido, sequer, o direito de uma opinião divergente. Muito grave", disse ela sobre a decisão do STJ contra Lula

"A promessa da democracia é o tratamento igual para todos. É por isso que a Justiça é representada por uma senhora com uma balança na mão e a venda no rosto. E isso nós não temos. Então eu acho que o cerne do regime democrático está comprometido", afirmou a presidente deposta Dilma Rousseff ao colunista do 247 Paulo Moreira Leite, durante ato em homenagem ao Dia Internacional da Mulher; Dilma disse que, mesmo sob ameaça de prisão, o ex-presidente Lula será decisivo nas eleições; "É muito grave que o presidente Lula não tenha tido, sequer, o direito de uma opinião divergente. Muito grave", disse ela sobre a decisão do STJ contra Lula
"A promessa da democracia é o tratamento igual para todos. É por isso que a Justiça é representada por uma senhora com uma balança na mão e a venda no rosto. E isso nós não temos. Então eu acho que o cerne do regime democrático está comprometido", afirmou a presidente deposta Dilma Rousseff ao colunista do 247 Paulo Moreira Leite, durante ato em homenagem ao Dia Internacional da Mulher; Dilma disse que, mesmo sob ameaça de prisão, o ex-presidente Lula será decisivo nas eleições; "É muito grave que o presidente Lula não tenha tido, sequer, o direito de uma opinião divergente. Muito grave", disse ela sobre a decisão do STJ contra Lula (Foto: Aquiles Lins)

Por Paulo Moreira Leite, 247 - "Até agora eu achava que o regime democrático havia sofrido algumas medidas de exceção mas que o cerne da democracia tinha sido preservado", disse a presidente legítima e deposta Dilma Rousseff em entrevista ao 247, na noite desta quarta-feira, 7, quando compareceu a um ato público no Clube Homs, em São Paulo, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher.

"Hoje eu compreendo que enfrentamos uma situação muito mais grave. A promessa da democracia é o tratamento igual para todos. É por isso que a Justiça é representada por uma senhora com uma balança na mão e a venda no rosto. E isso nós não temos. Então eu acho que o cerne do regime democrático está comprometido", disse Dilma.

Referindo-se à decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que negou pedido de habeas corpus ao ex-presidente Lula por cinco votos a zero, Dilma mostrou-se inconformada com essa unanimidade de contrários, que já havia se manifestado no julgamento do TRF-4. "É muito grave que o presidente Lula não tenha tido, sequer, o direito de uma opinião divergente. Muito grave", criticou.

Dilma acredita que, mesmo ameaçado em sua liberdade e em seu direito de disputar a presidência, Lula será um fator político importante no ano eleitoral de 2018. "Não se pode negar que Lula é uma pessoa com atitude, com capacidade, muito atenta," disse Dilma. "Ele estava certo quando disse certa vez que iria participar da campanha, livre ou solto, condenado ou absolvido, ou mesmo vivo ou morto. Lula não disse isso por soberba nem por desconhecimento, mas por sua sensibilidade, por seu compromisso com o povo. Hoje ele representa a maior força de oposição ao que estão fazendo a nosso país", afirmou a líder petista.

Inscreva-se na TV 247 e assista a depoimento da filósofa Márcia Tiburi, explicando por que o golpe de 2016 foi também misógino:

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247