Dilma diz que situação em Gaza é um massacre

Presidente classificou de desproporcional a ação de Israel na Faixa de Gaza durante sabatina promovida por Folha, Uol, SBT e Jovem Pan nesta segunda-feira; "Não acho que é genocídio, mas acho que é um massacre. Tem uma ação desproporcional", disse; Dilma Rousseff também lamentou as palavras do porta-voz da chancelaria israelense, que chamou o Brasil de "anão diplomático"

www.brasil247.com - Presidente classificou de desproporcional a ação de Israel na Faixa de Gaza durante sabatina promovida por Folha, Uol, SBT e Jovem Pan nesta segunda-feira; "Não acho que é genocídio, mas acho que é um massacre. Tem uma ação desproporcional", disse; Dilma Rousseff também lamentou as palavras do porta-voz da chancelaria israelense, que chamou o Brasil de "anão diplomático"
Presidente classificou de desproporcional a ação de Israel na Faixa de Gaza durante sabatina promovida por Folha, Uol, SBT e Jovem Pan nesta segunda-feira; "Não acho que é genocídio, mas acho que é um massacre. Tem uma ação desproporcional", disse; Dilma Rousseff também lamentou as palavras do porta-voz da chancelaria israelense, que chamou o Brasil de "anão diplomático" (Foto: Gisele Federicce)


Luciano Nascimento - Repórter da Agência Brasil

A presidenta Dilma Rousseff, candidata à reeleição, classificou hoje (28) de desproporcional a ação de Israel na Faixa de Gaza. Desde o início dos bombardeios de Israel em Gaza, há três semanas, 1.030 palestinos, inclusive mulheres e crianças, morreram. Do lado israelense, foram 43 mortes, todas de soldados. Para Dilma, Israel está promovendo um "massacre ao atingir a população civil, principalmente mulheres e crianças".

"Não acho que é genocídio, mas acho que é um massacre. Tem uma ação desproporcional," disse a presidenta, que considerou lamentável a posição do porta-voz do ministério das Relações Exteriores de Israel, Yigal Palmo que, segundo um jornal local, chamou o Brasil de "anão diplomático". "Lamento as palavras do porta-voz, pois as palavras produzem um clima muito ruim, deveríamos ter cuidado com as palavras", ponderou.

Dilma fez as declarações em resposta a uma pergunta durante sabatina organizada pelo jornal Folha de S.Paulo, o portal UOL, o SBT e a Rádio Jovem Pan, realizada nesta segunda-feira no Palácio da Alvorada. Os quatro veículos de comunicação já sabatinaram neste mês os candidatos Eduardo Campos (PSB) e Aécio Neves (PSDB).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A presidenta, porém, negou que haja uma crise diplomática com Israel e lembrou que o Brasil foi o primeiro país a reconhecer o Estado judeu. Segundo Dilma, o Brasil defende a existência tanto do Estado de Israel quanto de um Estado palestino.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Dilma elogiou a posição do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas, que aprovou hoje (28) um pedido de cessar-fogo humanitário na região. "A decisão da ONU de exigir um cessar-fogo imediato é muito bem-vinda, pois é uma situação que não dá para continuar", avaliou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email