Dilma: golpistas semearam ódio, covardia e violência

Presidente deposta pelo golpe repudia atentado a tiros contra acampamento que defende a liberdade de Lula; "Os golpistas de 2016 semearam ódio, covardia e violência. Alimentaram o fascismo que baleou a caravana de Lula no Sul, assassinou impunemente a líder mulher e negra, Marielle. Nessa madrugada dispararam + de 20 tiros contra o acampamento de apoio a #Lulainocente #Lulalivre", postou Dilma no Twitter; ela destaca que "o regime de exceção é o ovo da serpente. É parido pelos golpes, alimentado com tiros em acampamento pacífico e cresce com o arbítrio da condenação e prisão em solitária de pessoa inocente, Lula"

Presidente deposta pelo golpe repudia atentado a tiros contra acampamento que defende a liberdade de Lula; "Os golpistas de 2016 semearam ódio, covardia e violência. Alimentaram o fascismo que baleou a caravana de Lula no Sul, assassinou impunemente a líder mulher e negra, Marielle. Nessa madrugada dispararam + de 20 tiros contra o acampamento de apoio a #Lulainocente #Lulalivre", postou Dilma no Twitter; ela destaca que "o regime de exceção é o ovo da serpente. É parido pelos golpes, alimentado com tiros em acampamento pacífico e cresce com o arbítrio da condenação e prisão em solitária de pessoa inocente, Lula"
Presidente deposta pelo golpe repudia atentado a tiros contra acampamento que defende a liberdade de Lula; "Os golpistas de 2016 semearam ódio, covardia e violência. Alimentaram o fascismo que baleou a caravana de Lula no Sul, assassinou impunemente a líder mulher e negra, Marielle. Nessa madrugada dispararam + de 20 tiros contra o acampamento de apoio a #Lulainocente #Lulalivre", postou Dilma no Twitter; ela destaca que "o regime de exceção é o ovo da serpente. É parido pelos golpes, alimentado com tiros em acampamento pacífico e cresce com o arbítrio da condenação e prisão em solitária de pessoa inocente, Lula" (Foto: Gisele Federicce)

247 - A presidente eleita e deposta pelo golpe, Dilma Rousseff, repudiou com veemência o atentado a tiros feito na madrugada deste sábado 28 contra o acampamento pacífico que defende a liberdade do ex-presidente Lula em Curitiba, desde que ele foi preso, em 7 de abril.

"Os golpistas de 2016 semearam ódio, covardia e violência. Alimentaram o fascismo que baleou a caravana de Lula no Sul, assassinou impunemente a líder mulher e negra, Marielle. Nessa madrugada dispararam + de 20 tiros contra o acampamento de apoio a #Lulainocente #Lulalivre", lembrou Dilma. 

"O regime de exceção é o ovo da serpente. É parido pelos golpes, alimentado com tiros em acampamento pacífico, cresce com o arbítrio da condenação e prisão em solitária de pessoa inocente, LULA . Alimenta-se dos atentados ao Estado Democrático de direito", postou no Twitter.

Em outra mensagem, a presidente deposta lembrou Bertoldt Brecht: "balearam os petistas mas eu não me importei com isso. Não era petista. Depois, assassinaram Marielle. Não me importei com isso. Não era mulher nem negra. Deram 20 tiros no acampamento. Não me importei, não estava lá. Agora atiram em mim".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247