Dilma: investigadores já sabiam quem era Temer

Durante discurso na abertura do 6º Congresso Nacional do PT, a presidente eleita Dilma Rousseff afirmou que as denúncias de corrupção contra Michel Temer já eram do conhecimento dos investigadores da Lava Jato; "Estamos assistindo a esse processo completamente descontrolado e ninguém pode dizer que não estava claro que o que foi gravado não era de conhecimento das instituições de investigação", afirmou Dilma, numa referência às delações da JBS

Durante discurso na abertura do 6º Congresso Nacional do PT, a presidente eleita Dilma Rousseff afirmou que as denúncias de corrupção contra Michel Temer já eram do conhecimento dos investigadores da Lava Jato; "Estamos assistindo a esse processo completamente descontrolado e ninguém pode dizer que não estava claro que o que foi gravado não era de conhecimento das instituições de investigação", afirmou Dilma, numa referência às delações da JBS
Durante discurso na abertura do 6º Congresso Nacional do PT, a presidente eleita Dilma Rousseff afirmou que as denúncias de corrupção contra Michel Temer já eram do conhecimento dos investigadores da Lava Jato; "Estamos assistindo a esse processo completamente descontrolado e ninguém pode dizer que não estava claro que o que foi gravado não era de conhecimento das instituições de investigação", afirmou Dilma, numa referência às delações da JBS (Foto: Aquiles Lins)

247 - Durante discurso na abertura do 6º Congresso Nacional do PT, a presidente eleita Dilma Rousseff afirmou que as denúncias de corrupção contra Michel Temer já eram do conhecimento dos investigadores da Lava Jato. 

"Estamos assistindo a esse processo completamente descontrolado e ninguém pode dizer que não estava claro que o que foi gravado não era de conhecimento das instituições de investigação", afirmou Dilma, numa referência às delações da JBS.

Dilma voltou a dizer que as perguntas enviadas a Temer pelo deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) eram um "roteiro" de investigação. "Mais claro, impossível", provocou ela. 

Dilma defendeu a saída imediata de Michel Temer e eleições diretas para seu substituto.  "Não estou garantindo uma vitória, mas tem de ser garantido o direito de qualquer cidadão brasileiro competir" , afirmou ela. "Perder não é vergonha. Vergonha é ganhar no tapetão, sem voto. É tentar eleger candidato biônico."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247