Dilma: 'Não há um delito apontado contra nós'

Durante entrega de unidade do Minha Casa Minha Vida em Boa Vista nesta quarta-feira, 9, a presidente Dilma Rousseff se defendeu das acusações de ter cometido crime de responsabilidade com as chamadas "pedaladas fiscais"; "Não há nenhum delito, nenhum crime apontado contra nós", afirmou; Dilma enfatizou que tem legitimidade das urnas para continuar à frente do País. "Quero continuar na Presidência, primeiro, porque fui eleita. Mas também porque nos últimos 500 anos ninguém fez um programa habitacional como esse, para as pessoas mais pobres. Ninguém", afirmou

Durante entrega de unidade do Minha Casa Minha Vida em Boa Vista nesta quarta-feira, 9, a presidente Dilma Rousseff se defendeu das acusações de ter cometido crime de responsabilidade com as chamadas "pedaladas fiscais"; "Não há nenhum delito, nenhum crime apontado contra nós", afirmou; Dilma enfatizou que tem legitimidade das urnas para continuar à frente do País. "Quero continuar na Presidência, primeiro, porque fui eleita. Mas também porque nos últimos 500 anos ninguém fez um programa habitacional como esse, para as pessoas mais pobres. Ninguém", afirmou
Durante entrega de unidade do Minha Casa Minha Vida em Boa Vista nesta quarta-feira, 9, a presidente Dilma Rousseff se defendeu das acusações de ter cometido crime de responsabilidade com as chamadas "pedaladas fiscais"; "Não há nenhum delito, nenhum crime apontado contra nós", afirmou; Dilma enfatizou que tem legitimidade das urnas para continuar à frente do País. "Quero continuar na Presidência, primeiro, porque fui eleita. Mas também porque nos últimos 500 anos ninguém fez um programa habitacional como esse, para as pessoas mais pobres. Ninguém", afirmou (Foto: Aline Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A presidente Dilma Rousseff participou nesta quarta-feira, 9, em Boa Vista (RR), da entrega unidade habitacionais do programa Minha Casa Minha Vida. Dilma se defendeu das acusações de ter cometido crime de responsabilidade com as chamadas "pedaladas  fiscais", principal argumento do processo de impeachment contra ela na Câmara. 

"Uma das razões para que eu esteja sendo julgada hoje é porque uma parte deles acha que nós não gastamos, que nós não deveríamos ter gastado da forma que gastamos para fazer o Minha Casa, Minha Vida. Uma das razões é esta, é o que eles chamam de pedaladas fiscais", disse a presidente.

"Mas não há nenhum delito, nenhum crime apontado contra nós. Então, eu digo para vocês o seguinte: eu vou continuar fazendo o Minha Casa, Minha Vida. Isso não é um desafio a ninguém. Nós não queremos desafiar ninguém. Mas nós vamos continuar, mesmo que num ritmo um pouco menor. O nosso objetivo é continuar o programa Minha Casa, Minha Vida", acrescentou.

Dilma enfatizou que tem legitimidade das urnas para continuar à frente do País. "Quero continuar na Presidência, primeiro, porque fui eleita. Mas também porque nos últimos 500 anos ninguém fez um programa habitacional como esse, para as pessoas mais pobres. Ninguém", afirmou. 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email