Dilma vai ao STF contra fake news de Bolsonaro

Ex-presidente Dilma Rousseff protocolou no STF uma interpelação contra Jair Bolsonaro, por ele ter insinuado, em discurso nos Estados Unidos, que Dilma teria participado do assassinato do capitão americano Charles Chandler, em 1968; Bolsonaro poderá ser acusado de injúria, difamação e calúnia

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A ex-presidente Dilma Rousseff apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma interpelação para exigir explicações do presidente Jair Bolsonaro sobre uma recente declaração que ele fez em Dallas, insinuando que ela teria participado do assassinato do capitão americano Charles Chandler, em outubro de 1968.

“Quem até há pouco ocupava o governo teve em sua história suas mãos manchadas de sangue na luta armada, matando inclusive um capitão”, disse Bolsonaro em maio, referindo-se a Chandler.

Caso Bolsonaro confirme que se referia mesmo à ex-presidente Dilma, que nega participação no crime, ele poderá ser acusado formalmente de injúria, difamação e calúnia.

A interpelação foi encaminhada ao gabinete do presidente do STF, ministro Dias Toffoli, que responde pelo plantão da Corte durante o recesso de julho.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247