Dirceu vai à ONU contra ‘abuso de autoridade’ de Moro

Ex-ministro decidiu reforçar sua defesa jurídica, contratando novos advogados, para denunciar o juiz Sérgio Moro à Comissão dos Direitos Humanos da ONU; José Dirceu se considera "preso político" em tempos de avanço do neoliberalismo e de refluxo do movimento de esquerda em toda a América Latina

Ex-ministro decidiu reforçar sua defesa jurídica, contratando novos advogados, para denunciar o juiz Sérgio Moro à Comissão dos Direitos Humanos da ONU; José Dirceu se considera "preso político" em tempos de avanço do neoliberalismo e de refluxo do movimento de esquerda em toda a América Latina
Ex-ministro decidiu reforçar sua defesa jurídica, contratando novos advogados, para denunciar o juiz Sérgio Moro à Comissão dos Direitos Humanos da ONU; José Dirceu se considera "preso político" em tempos de avanço do neoliberalismo e de refluxo do movimento de esquerda em toda a América Latina (Foto: Gisele Federicce)

Por Esmael Morais - O ex-ministro José Dirceu decidiu reforçar sua defesa jurídica, contratando novos advogados, para denunciar o juiz Sérgio Moro à Comissão dos Direitos Humanos da ONU (Organização das Nações Unidas).

Dirceu se considera "preso político" em tempos de avanço do neoliberalismo e de refluxo do movimento de esquerda em toda a América Latina.

Na prática, Dirceu adotará a mesma tática do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de recorrer ao Acnudh (Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos).

O ex-ministro foi condenado à "prisão perpétua" — 23 anos e três meses — pela Operação Lava Jato haja vista que Dirceu tem 70 anos de idade.

Em 21 de outubro passado, em audiência com Moro, Dirceu pediu para que o juiz o coloque em liberdade devido à idade avançada e à necessidade de prover sua família.

"O senhor tem um advogado competente, que está pleiteando a liberdade para o senhor nas instâncias recursivas, mas o meu posicionamento eu já coloquei nesse caso", respondeu o juiz.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247