Disparada da inflação coloca em risco plano eleitoreiro de Bolsonaro

Estratégia do governo de lançar plano eleitoreiro envolvendo o Bolsa Família está colocado em xeque pela inflação alta

(Foto: Reuters | Banco Central do Brasil | Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - A disparada da inflação compromete a estratégia do governo de lançar um programa eleitoreiro de ampliação envolvendo o Bolsa Família no próximo ano. 

O impacto da inflação sobre as contas públicas pode travar a ampliação do programa social mesmo se houver solução para o crescimento na conta de precatórios —dívidas do governo reconhecidas pela Justiça e sem possibilidade de recurso, informa a Folha de S.Paulo.

Jair Bolsonaro quer um novo programa, chamado de Auxílio Brasil, com verba de aproximadamente R$ 18 bilhões. 

PUBLICIDADE

Para isso, o governo espera que o Congresso autorize o parcelamento de uma parte de seus débitos judiciais. Com a medida, o Executivo pretende reduzir em R$ 33,5 bilhões a previsão de gastos no Orçamento de 2022. A alta da inflação, porém, deve consumir boa parte desse dinheiro. Despesas públicas, como aposentadorias e pensões, são corrigidas pela inflação.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email