Dono de 10,3 mil imóveis vazios, governo Temer gasta R$ 1,6 bi com aluguel

Apesar de ser proprietário de 10,3 mil imóveis desocupados em todo o país, o governo Michel Temer gasta anualmente R$ 1,6 bilhão com o pagamento de aluguel para abrigar órgãos e repartições públicas; do total de imóveis sem ocupação, 80% são de residências, salas comerciais, terrenos e galpões que poderiam ser vendidos, alugados ou cedidos, mas sem necessariamente serem usados para uso da população; demais 20% são qualificados como "bens de uso especial", voltados para a prestação de serviços públicos, como hospitais e escolas

Apesar de ser proprietário de 10,3 mil imóveis desocupados em todo o país, o governo Michel Temer gasta anualmente R$ 1,6 bilhão com o pagamento de aluguel para abrigar órgãos e repartições públicas; do total de imóveis sem ocupação, 80% são de residências, salas comerciais, terrenos e galpões que poderiam ser vendidos, alugados ou cedidos, mas sem necessariamente serem usados para uso da população; demais 20% são qualificados como "bens de uso especial", voltados para a prestação de serviços públicos, como hospitais e escolas
Apesar de ser proprietário de 10,3 mil imóveis desocupados em todo o país, o governo Michel Temer gasta anualmente R$ 1,6 bilhão com o pagamento de aluguel para abrigar órgãos e repartições públicas; do total de imóveis sem ocupação, 80% são de residências, salas comerciais, terrenos e galpões que poderiam ser vendidos, alugados ou cedidos, mas sem necessariamente serem usados para uso da população; demais 20% são qualificados como "bens de uso especial", voltados para a prestação de serviços públicos, como hospitais e escolas (Foto: Paulo Emílio)

247 - Apesar de ser proprietário de 10,3 mil imóveis desocupados em todo o país, o governo Michel Temer gasta anualmente R$ 1,6 bilhão com o pagamento de aluguel para abrigar órgãos e repartições públicas. Do total de imóveis sem ocupação, 80% são de residências, salas comerciais, terrenos e galpões que poderiam ser vendidos, alugados ou cedidos, mas sem necessariamente serem usados para uso da população. Os demais 20% são qualificados como "bens de uso especial", voltados para a prestação de serviços públicos, como hospitais e escolas.

De acordo com matéria da BBC Brasil, os Estados do Rio de Janeiro, Pará, Bahia e Santa Catarina, abrigam 60% dos imóveis desocupados que podem ser negociados pelo governo federal, incluindo o uso por parte da iniciativa privada, já que não possuem destinação específica. Já os imóveis que possuem destinação específica são cerca de 2 mil e estão localizados, principalmente, em São Paulo. Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal.

Segundo o Ministério do Planejamento, o governo "está trabalhando para reduzir a despesa anual de R$ 1,6 bilhão com aluguel", seja por meio da ocupação ou da comercialização dos mesmos.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247