Eduardo Bolsonaro acusa ‘médicos esquerdistas’ por mortes no Amazonas

O deputado Eduardo Bolsonaro, filho do titular do Palácio do Planalto, acusou médicos do Amazonas de ministrarem doses “muito fora do padrão” de cloroquina durante estudos clínicos com doentes de covid-19 para “desqualificar” o medicamento que tem sido defendido por seu como possibilidade de cura para o novo coronavírus

Eduardo Bolsonaro
Eduardo Bolsonaro (Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em uma postagem no Twitter, Eduardo acusou "médicos esquerdistas" de matarem pacientes no Amazonas com doses excessivas de cloroquina. 

“Os responsáveis são do PT, mas isso é pura coincidência, claro”, escreveu o parlamentar. 

Segundo a coluna BR Político, ele se referia ao fato de que o site bolsonarista Conexão Política, uma de suas fontes preferenciais nas redes sociais, fez uma “pesquisa no Facebook” e teria constatado que alguns dos responsáveis por ministrar a cloroquina no estudo em que 11 pessoas morreram fazem em seus posts defesas de políticos de esquerda, como Fernando Haddad e Guilherme Boulos. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247