Eduardo Bolsonaro apresenta projeto de lei em que tenta equiparar comunismo ao nazismo

Projeto de lei apresentado pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro foi inspirado em uma lei aprovada pela Ucrânia em 2015. Objetivo é alterar a Lei de Segurança Nacional equiparando a ideologia comunista ao nazismo, cuja apologia já é considerada crime no Brasil

Eduardo Bolsonaro
Eduardo Bolsonaro (Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) apresentou um projeto de lei para criminalizar a ideologia comunista e equipará-la ao nazismo, cuja apologia já é considerada crime pela atual legislação brasileira. O próprio governo Jair Bolsonaro, porém, já se envolveu em polêmicas sobre o assunto ao utilizar referências nazistas em diversas ocasiões. 

“APRESENTEI PROJETO DE LEI QUE PREVÊ CADEIA PARA QUEM FIZER APOLOGIA AO NAZISMO E AO COMUNISMO. Apresentei hoje, 1º/SET, data da invasão da Polônia por nazistas e posteriormente comunistas, o PL 4425/20, que criminaliza a apologia a estas ideologias assassinas”, postou Eduardo Bolsonaro nas redes sociais nesta terça-feira (1). 

O projeto de lei apresentado, segundo ele, foi inspirado em uma lei aprovada pela Ucrânia em 2015 e “visa impedir genocídios, que são o resultado do nazismo e do comunismo, assim como o código penal criminaliza o assassinato individual ao prever o crime de homicídio”.

O PL apresentado por Eduardo Bolsonaro mudaria pontos da Lei de Segurança Nacional (7.170) de maneira a punir com penas de 9 a 15 anos de prisão opositores políticos identificados com o comunismo. 

Confira a postagem de Eduardo Bolsonaro sobre o assunto. 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email